Caminho da pecuária é chegar aos ganhos de até 300% com integração produtiva, somando à genética, reprodução e nutrição

Publicado em 22/11/2018 16:18 e atualizado em 22/11/2018 17:41
854 exibições
Além de fechar todo o ciclo da pecuária, IZ agora insiste na produção sustentável da pecuária de corte e de leite, com base forte de fundamento na ILPF - integração, lavoura, pecuária e floresta
Renata Branco - Diretora do Instituto de Zootecnia

Podcast

Entrevista com Renata Branco - Diretora do Instituto de Zootecnia

Download

LOGO nalogo

O desafio da pecuária é chegar a ter ganhos de até 300% com a integração produtiva aliada a genética, reprodução e nutrição. A partir da integração lavoura-pecuária, o instituto de zootecnia está fazendo a disseminação das tecnologias para os pecuaristas.

De acordo com a diretora do Instituto de Zootecnia, Renata Branco, muitos pesquisadores estão trabalhando ativamente para a melhoria da eficiência da produção da carne em genética, nutrição ou em manejo. “Nós temos programa de melhoramento genético no país que são antigos dos anos de 1976. Então, a gente vem trabalhando ao longo dos anos para a melhoria da cadeira produtiva”, afirma.

Ainda tem ilhas que não utilizam genética pelo fato da tecnologia de não ser tão acessível para determinados produtores rurais. “Até então tem um gargalo grande em que estamos trabalhado para que os pecuaristas tenham conhecimento e entenda que utilizando a tecnologia vai um aumento de rentabilidade”, comenta.

No Rio Grande do Sul a integração lavoura-pecuária é muito mais utilizada devido ao uso de tecnologia ponta. “Se o agricultor não adotar as técnicas mais avançadas vai sentir no bolso logo no final da safra e ele sai do mercado. Então, nos queremos capacitar essas pessoas para que utilizem as tecnologias disponíveis”, aponta.

O instituto de Zootecnia está no terceiro ano de um programa de melhoramento genético de leite que utiliza o gado girolanda e com o holandês. “É um grande mercado e agrega valor ao produto e todo o sistema de produção integrado”, ressalta.

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário