Frigoríficos travam negócios por demanda calma e não deixam @ ganhar mais firmeza pela baixa nos bois terminados

Publicado em 27/02/2019 15:43 e atualizado em 27/02/2019 16:25
467 exibições
Também as indústrias já sabem que os animais que foram confinados em janeiro/fevereiro, pela seca, deverão ser desovados de abril em diante. @ hoje (27), média: SP, R$ 153/155; MS, R$ 145/148; GO, R$ 142/143.
Caio Toledo Godoy - Consultor em Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone

Podcast

Entrevista com Caio Toledo Godoy - Cons. Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone sobre o Mercado do boi

Download

LOGO nalogo

“A situação que eu vejo hoje de mercado é uma situação que a gente observa uma oferta bem restrita, principalmente em São Paulo, Minas Gerais, Goiás e algumas regiões do Mato Grosso do Sul, porém por outro lado, como a demanda interna dessa segunda semana foi muito fraca, isso tem feito com que os frigoríficos trabalhem com uma escala de abates mais curta, justamente, para não correr o risco de ficar com o animal dentro da sua linha de abate. Você a demanda enfraquecida, mas a oferta também bem restrita”, essa é a análise do atual momento no mercado do boi gordo para Caio Toledo Godoy, consultor em Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone.

O consultor destaca também que a oferta restrita deverá permanecer até meados de abril e maio por conta das pastagens prejudicas pela seca e pelos frigoríficos que devem liberar os animais a partir dessa data.

Atualmente, os preços da arroba giram nas médias de R$ 153/155 em São Paulo, R$ 145/148 em Mato Grosso do Sul e R$ 142/143 em Goiás, de acordo com Caio Toledo Godoy.

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por Giovanni Lorenzon e Guilherme Dorigatti
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário