Margens dos frigoríficos melhoram em meio a mercado do boi firme, impondo dificuldades às vendas; R$ 153/@ em SP

Publicado em 21/03/2019 13:00 e atualizado em 21/03/2019 17:10
703 exibições
Margens dos frigoríficos melhoram em meio a mercado do boi firme, impondo dificuldades às vendas; R$ 153/@ em SP
Felippe Reis - Analista da Scot Consultoria

Podcast

Entrevista com Felippe Reis - Analista da Scot Consultoria sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Nós últimos dias, as margens dos frigoríficos melhoraram mesmo com as referências do mercado do boi firmes. No estado do Pará, o excesso de chuvas está dificultando o transporte dos animais e acaba contribuindo para a escassez de matéria prima para as indústrias. Contudo, ao longo de março até o momento cerca de 70% das praças tiveram valorizações.

Segundo o analista da Scot Consultoria, Felippe Reis, a segunda quinzena do mês é marcada por uma queda no consumo de carne bovina e a oferta limitada está segurando a pressão de baixa. “Com isso, as indústrias frigoríficas estão ofertando valores maiores pela a arroba do boi gordo”, comenta.

Atualmente, o preço da arroba no estado de São Paulo está próximo de R$ 153,00/@, á vista, livre de funrural. “Considerando o preço a prazo está por volta de R$ 155,50/@, livre de funrural. Porém, existem casos pontuais de negócios sendo efetivados acima desses valores da referência”, destaca.

Com relação as pastagens, o analista salienta que o volume de chuva nos meses de fevereiro e março acabou compensando a estiagem de dezembro e janeiro. “O aumento do suporte das pastagens tem permitido aos pecuaristas a estratégia de reter boiada aguardando por preços melhores”, afirma.

Entretanto, as escalas de abate estão girando em torno de 3,5 dias úteis no estado de São Paulo. “Nós observamos algumas indústrias em determinadas localidades que tem programações de dois dias, ou seja, há uma dificuldade na hora de compor as escalas e faz com que os frigoríficos naturalmente saiam às compras com mais afinco”, diz.

Para a próxima semana, a expectativa é que as indústrias devem sair para compras para se prepararem para atender as demandas da virada do mês. “Com o mercado sustentado nesta segunda quinzena, nós acreditamos que esse cenário deve se repetir nos próximos dias e pode ganhar um pouquinho de força”, pontua.

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário