Mesmo comprando o básico, frigoríficos têm dificuldades de fechar escalas e @ se aquece até em 6ª feira

Publicado em 29/03/2019 13:23 e atualizado em 29/03/2019 16:07
710 exibições
Margem de manobra dos produtores aumenta com suporte de pastagens e cotação fica entre R$ 155 e R$ 156 em SP. Diferencial de base para outros estados se alarga. Em maio, se espera maior saída dos animais, inclusive os confinados pela seca até final de janeiro.
Douglas Coelho - Radar Investimentos - São Paulo-SP

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho - Radar Investimentos - São Paulo-SP sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Nesta semana, as indústrias frigoríficas compraram só o básico já que estavam enfrentando dificuldade em compor as escalas de abate. Com isso, as referências para a arroba do boi gordo aumentaram nas principais praças e os preços giram ao redor de R$ 155,00/@ a R$ 156,00/@ no estado de São Paulo.

De acordo com o sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, os pecuaristas estão conseguindo manter os animais devido a qualidade das pastagens. “Na última sexta-feira, nós fizemos um levantamento e os preços de balcão em alta. Essa é uma situação bem atípica no mercado do boi gordo para uma sexta-feira”, comenta.

A expectativa é que em maio tenha um excesso de oferta com as saídas dos animais que foram confinados durante a estiagem em janeiro. “Os pecuaristas estão conseguindo segurar os animais, mas uma hora vão ter que diluir no mercado e vai chegar um determinado momento em que os produtores não vão conseguir colocar tantas arrobas por carcaça e os custos vão pesar”, afirma.

Com relação às pastagens, Coelho ressalta que se tiverem quedas de temperaturas pode comprometer a capacidade dos pastos. Por isso, os pecuaristas devem estar atentos as condições climáticas para não terem prejuízos depois.

O diferencial de base só está aumentando, tendo em vista que há trinta dias estava 6.3 em Goiânia/GO e atualmente está próximo de 18.8. “Em Campo Grande/MS está próximo de 9.7 e há um mês estava em torno de 7.6, assim como em outras localidades o triângulo mineiro teve um aumento no diferencial. Então, essas diferenças entre São Paulo e os outros estados são mais expressivas”, salienta.

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário