Produtor de SP vê perda constante de margem do boi, mas compensa com alimento próprio das áreas em integração com lavouras

Publicado em 28/05/2019 13:04 e atualizado em 28/05/2019 15:48
698 exibições
Oferta de boi bem acabado a R$ 156 e no comum, R$ 152, na região do Pontal do Paranapanema. Novilhas até R$ 15 a mais que a vaca, mostrando demanda.
Ricardo Viacava - Diretor da CV Nelore Mocho

Podcast

Entrevista com Ricardo Viacava - Diretor da CV Nelore Mocho sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

No estado de São Paulo, os pecuaristas estão percebendo que as margens de lucro na arroba do boi gordo estão cada vez mais apertadas. Apesar desse cenário, os produtores rurais que tem alimentos próprios nas áreas com integração lavouras e pecuária não estão sentindo os efeitos dessa pressão nos preços.  

Segundo o Diretor da CV Nelore Mocho, Ricardo Viacava, muitas indústrias frigoríficas ficaram de fora das compras nesta semana, mas aos poucos estão retomando as negociações. “Nós estamos observando que os frigoríficos estão pagando um pouco menos, mas para os animais destinados a exportação está conseguindo um bom patamar devido ao dólar”, aponta.

Com relação às referências da novilha, o diretor salienta que os preços ficaram bem distantes das vacas. “Atualmente, a arroba da novilha está trabalhando até R$ 15,00 acima dos valores da vaca. Tendo em vista, que uma novilha jovem e bem acabada chega a valer o mesmo preço do boi gordo”, comenta.

As pastagens na maioria das regiões do estado já começaram a sentir os efeitos do tempo mais seco e os pecuaristas que já tem animais prontos já vão começar a desovar. Com os preços do milho mais baixo neste ano, a expectativa é que no primeiro giro de confinamento venha a ter uma boa oferta.

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário