Arroba do boi recua em MT com aumento na oferta de animais após piora na qualidade das pastagens e entrada de confinados

Publicado em 17/07/2019 12:27 e atualizado em 17/07/2019 16:04
416 exibições
Para complicar a situação, governo do estado pretende cobrar 3% de ICMS na aquisição de gado pelos frigoríficos
Neto Gouveia - Presidente da Comissão de Pecuária da Famato

Podcast

Entrevista com Neto Gouveia - Presidente da Comissão de Pecuária da Famato sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

No estado do Mato Grosso, as referências para o boi gordo recuaram devido ao aumento de oferta de animais, a baixa qualidade das pastagens e saídos dos animais de confinamento. Diante desse cenário, as escalas de abate se alongaram com  média de 10 a 13 dias úteis.

Segundo o Presidente da Comissão de Pecuária da Famato, Neto Gouveia,os preços da arroba recuaram nos últimos dez dias. “Nós tivemos uma redução nos preços e estamos trabalhando com a arroba resfriada ao redor de R$ 142,00/@ e vejo as exportações galopando a cada mês” afirma.

A liderança ressalta que as cotações para o boi estão quatro anos nos mesmos patamares e as desesperas só aumentam. “Nós estamos reduzindo a idade de abate e investindo em manejo, genética e nutrição. Agora, os pecuaristas precisam ser mais eficientes na hora de buscar preços melhores”, comenta.

Para complicar ainda mais a situação, o governo do estado está pretendendo cobrar 3% de Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) na aquisição de gado pelo os frigoríficos. “As entidades não concordam e temos 104 mil propriedades dentro do estado do Mato Grosso. A realidade é que o governo precisa para de arrecadar e reduzir os gastos”, pontua.

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário