Com recuo nas exportações em relação à janeiro e queda nos preços da carne no atacado, movimento de alta para @ tende a esfriar

Publicado em 18/02/2020 13:25
3185 exibições
Frigoríficos ainda mantém os R$200,00 como referência em SP, mas é preciso notícia nova da demanda para cotações avançarem
Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos sobre Mercado do boi

Download

LOGO nalogo

A semana começou com preços alinhados para o mercado do boi e os frigoríficos ainda mantém os R$ 200,00 como referência em São Paulo. "As indústrias têm conseguido lentamente compor suas operações nesses níveis, claro que o pecuarista está num poder de retenção muito bom ainda", afirma Douglas Coelho, analista de mercado. 

O analista destaca ainda que do lado da demanda, o mercado observa os dados de exportação de janeiro, que apresentaram uma ligeira queda no período. E no caso da demanda interna, o setor acompanha o recuo dos preços na carne no atacado. 

De acordo com Douglas, caso as exportações mantivessem o volume ficaria próximo de 111 mil toneladas, número positivo considerando fevereiro ser um mês mais curto. E em comparação com janeiro de 2020, a queda é de 5,2% e de 3,9% em relação a fevereiro de 2019. "Quando a gente olha o preço médio em dólares por tonelada, a gente vê uma queda de 7,3% em comparação com janeiro de 2020", explica o analista, afirmando ainda que os números ascendem uma luz de alerta no mercado. 

O analista destaca ainda que é natural que os números de exportação fiquem mais baixos em janeiro, mas que em fevereiro as quedas podem ser consideradas um reflexo da diminuição do ritmo de compras da China, levando em consideração o surto do Coronavírus pelo qual passa o país asiático e que tem dado efeitos negativos para toda economia.

No caso do mercado interno, Douglas destaca que é recuos registrados podem ser consideradas movimentações sazonais. "A gente tem o Carnaval agora, que querendo ou não diminui dois dias de abate e dois dias de compra de gado e isso pode deixar os estoques relativamente enxutos, mas isso não foi suficiente para segurar ou dar uma valorização nesse mercado", explica. 

Veja a análise completa no vídeo acima

 

Por:
Aleksander Horta e Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Eduardo Ferraz Pacheco de Castro Cuiabá - MT

    Estamos com Bolsonaro e Sérgio Moro.

    #Bolsonaro2022

    5