Mercado de carnes deve passar por um período de vazio de demanda nos próximos dias e arroba do boi pode ser afetada

Publicado em 24/03/2020 13:27 e atualizado em 24/03/2020 15:53
2707 exibições
Com alimentos estocados para enfrentar epidemia de coronavírus e sem embarque efetivos para China por falta de conteiners, demanda pode reduzir
Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos

Podcast

Entrevista com Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

O mercado físico do boi gordo registrou poucos negócios na semana anterior, com poucos pecuaristas ativos na venda dos animais e isso levou as programações de abate para níveis menores. Atualmente, a referência para o boi gordo no estado de São Paulo  está ao redor de R$ 190,00/@ a R$ 195,00/@, mas alguns negócios ocorrem em torno dos R$ 200,00/@. 

O analista de mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira, destaca que após as medidas do governo para conter o novo coronavírus as indústrias optaram por ficar fora das compras. “Na semana passada, as cotações registraram um recuo de R$ 20,00/@ já que os frigoríficos não sabiam como seria o comportamento da demanda doméstica”, relata. 

Diante desse fato, os pecuaristas decidiram por não negociar os animais com preços abaixo dos custos de produção. “É normal o pecuarista se assustar e o volume negociado no mercado foi irrelevante. Com isso, as escalas de abate passaram a ser quase zero e as indústrias estão adquirindo matérias prima para abater amanhã”, comenta. 

Com a população preocupada com o avanço da doença, muitos resolveram fazer estoques de alimentos e as vendas de carne bovina foram semelhantes ao observados no natal de 2019. “A população comprou por volta de 6 vezes mais do que é o costume. Para abastecer o mercado interno, as indústrias frigoríficas estão sendo obrigadas a ofertar preços melhores para a arroba do boi”, ressaltou.

O analista afirmou que tem relatos de que a China está realizando novos negócios em ritmo lento, mas a falta de containers está prejudicando o embarque da mercadoria. “Essa falta de containers deve se regularizar em torno de 25 a 40 dias e não é tão simples essa burocracia de fretes marítimos”, conta.

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário