Boi: Escalas de abate em SP registram o maior nível desde outubro do ano passado

Publicado em 30/04/2020 13:14 e atualizado em 30/04/2020 18:37 1936 exibições
Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos
Ampliação das escalas indicam que desova de animais por redução na qualidade das pastagens pode ter começado

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, destacou que  as programações de abate registraram um alívio nos últimos dias. “Nós acreditamos que isso é reflexo do aumento da oferta de animais já que as pastagens estão perdendo a qualidade. A média de escala está em seu maior nível desde ano passado, sendo que hoje temos 3,75 dias úteis e foi o maior patamar observado desde 31 de outubro”, comenta. 

Historicamente a desova de animais ocorre no final de maio e começo de junho, porém nas últimas últimas a frequência e o volume de precipitações reduziram. “Nós estamos em abril e a cotação da arroba continua remuneradora ao pecuarista, na qual a referência em São Paulo para o boi comum gira ao redor de R$ 196,00/@ e o boi China segue com um ágio de R$ 5,00/@, afirma. 

No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem sustentados e temos um valor em torno de R$ 13,12/kg. “Nós estamos vendo uma movimentação um pouco maior no atacado sem osso em que o mercado está bem enxuto”, relata. 

Em função da disseminação do coronavírus muitos eventos foram adiados, mas a expectativa é que no terceiro trimestre tenha um estímulo maior para o consumo de carne bovina. “Se essa tendência ganhar força podemos ter uma demanda muito aquecido com a entrada do 13º salário, eventos e feiras acontecendo”, ressalta.

Do lado da demanda externa, o cenário das exportações de carne bovina in natura é positivo em que os dados da exportação da semana do dia 20 ao 24 de abril reforçaram as estimativas. “Em março embarcamos 125,9 mil toneladas e as projeções para este mês são de 123 mil toneladas. Como houve uma aceleração significativa na última semana, os dados de abril vir a mais do que projetado  inicialmente”, diz Coelho.

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário