Escalas de abate em SP aumentam para 7 dias em média, mas demanda firme por carne reduz pressão na arroba

Publicado em 05/05/2020 14:19 e atualizado em 05/05/2020 15:41 2952 exibições
Thayná Drugowick - Analista de mercado da Scot Consultoria
Exportações de carne bovina em abril recuam 7,6% em relação a março, mas são quase 3% maiores que no mesmo período do ano passado

Podcast

Entrevista com Thayná Drugowick - Analista de mercado da Scot Consultoria sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

No estado de São Paulo, as programações de abate tiveram um aumento e atende uma média de sete dias úteis devido ao aumento da desova de animais. Por outro lado, o volume exportado de carne bovina in natura registrou uma queda de 7% no mês de abril se comparado com o mês de março.

De acordo com o Analista de mercado da Scot Consultoria, Thayná Drugowick, o mercado do boi gordo segue estável diante do isolamento da população. “Nós estamos acompanhando e observamos que a arroba do boi gordo está se mantendo estável. No fechamento desta terça-feira (05), a arroba está cotada a R$ 192,00/@, a vista e livre do funrural”, comenta.

A expectativa é que os preços melhorem na próxima semana com o recebimento dos salários da população e com a comemoração do dias das mães pode ajudar no consumo. “Os preços devem continuar estáveis em virtude dessa demanda, mas quando esse cenário passar a pressão da oferta vai reduzir os valores negociados para a arroba”, aponta.

O mês de abril encerrou com o volume embarcado de 116,2 mil toneladas de carne in natura, porém na serie história o mês de abril sempre registra queda nas exportações. “Apesar desse recuo frente ao mês anterior, nós tivemos um aumento de quase 3% frente ao observado no ano anterior e esse valor foi considerado recorde para o mês de abril”, destaca.

Para o mês de maio, Drugowick ressalta que as exportações vão continuar com bons ritmos para suprir a demanda de alguns países. “Outro fator é o dólar valorizado que torna o nosso produto mais competitivo no mercado externo”, conclui.

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário