Renda dos frigoríficos com o boi China piora e ágio em relação ao animal comum, que chegou a R$ 15 , agora está em torno de R$ 3

Publicado em 16/09/2020 11:54 e atualizado em 16/09/2020 15:00 2458 exibições
Yago Travagini Ferreira - Analista de Mercado da Agrifatto
Com a PSA na Alemanha, chineses terão que comprar 50 mil toneladas/mês de proteína animal de outras origens e carne bovina brasileira pode ser demandada

Podcast

Entrevista com Yago Travagini Ferreira - Analista de Mercado da Agrifatto sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

A diferença entre os preços ofertados pelos animais destinados a exportação e ao mercado interno chegaram a ter um ágio de até R$ 15,00/@, mas agora essa está em torno de R$ 3,00/@. Esse cenário é reflexo do recuo do dólar e das renegociações das compras chinesas, conforme ressaltou o Analista de Mercado da Agrifatto, Yago Travagini Ferreira.

O escoamento da carne no atacado segue lento e que as indústrias não estão conseguindo repassar os valores para o consumidor. “Nós temos uma dificuldade em repassar novas altas quando o consumidor não aceita os novos patamares de preços da carne. Tivemos um avanço de R$ 70,00/@ e, querendo ou não, é um processo natural as pessoas procurarem por outras fontes de proteína”, informou.

As referências para a carne no atacado atingiram o patamar de R$ 16,00/kg na semana passada, porém com a segunda quinzena do mês a firmeza dos preços fica mais instável. “Nós vemos que o valor de R$ 16,00/kg chegou e não consegue ultrapassar esse nível já que o mercado atacadista segue cauteloso para novos valores”, afirma.

Com os preços da carne bovina no atacado cotada a R$ 16,00/kg dá margens para as indústrias pagarem por um animal de R$ 250,00/@. “Se o valor da carne recuar para R$ 15,00/kg, o cenário fica preocupante e não sustenta os preços da arroba. Além disso, podemos ter uma saída de animais de confinamento em outubro só que não vai ter uma forte muito expressiva na cotação”, relata.

O analista aponta que o cenário aponta para uma estiagem severa e que pode atrasar a produção de animais de pastagens. “Não devemos ter um boi de pasto com tanta qualidade e com peso, caso esse cenário de poucas chuvas se confirme”, aponta.

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Ronaldo Brejauba goiania - GO

    Pessoal, repetindo o analista ouvido pelo Notícias Agrícolas, "querendo ou não" os preços vão bombear" na pecuária, pois o mercado está com altíssima falta de oferta.... Exportações em alta, déficit mundial de gado para abate. Logo, rumo aos 300 reais, "querendo ou não".... Diante da pior entressafra da história, alta inevitável.

    0