Câmbio e demanda interna são pontos de atenção no mercado pecuário, mas preço da @ segue firme

Publicado em 10/11/2020 12:49 e atualizado em 10/11/2020 16:23 2444 exibições
João Otávio Figueiredo - Analista Sênior DATAGRO
Oferta de animais segue influenciando os preços da arroba estão próximos de R$ 288,00/@ a R$ 290,00/@

Podcast

Entrevista com João Otávio Figueiredo - Analista Sênior DATAGRO sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Os preços da carne brasileira no mercado internacional começam a perder competitividade à medida que as referências para a arroba começam a registrar valorizações constantes e o câmbio em queda. A carne brasileira perdendo competitividade acaba impactando nas margens das indústrias frigoríficas.

De acordo com o analista Sênior DATAGRO, João Otávio Figueiredo, os preços ainda estão bastante competitiva nos patamares atuais frente aos preços do produto americano, que é principal concorrente direto. “Se a arroba continuar nessa toada de valorizações -  que deve seguir até dezembro - e o câmbio recuar um pouco mais podemos perder a competitividade”, afirma.

O câmbio contribuiu para as exportações de carne brasileira, mas as eleições presidenciais norte americanas acabou pensando no dólar. “Agora levantou uma bandeira amarela e não sabemos se o dólar vai se manter neste patamar dos R$ 5,30 para o próximo ano, mas é um ponto de atenção que o pecuarista deve ter”, apontou.

O preço da carne no mercado internacional está em torno de US$ 53,00/@, sendo que estava precificada a US$ 46,00/@ no início da pandemia. O analista reforça que é importante ficar atento ao comportamento do câmbio já que os chineses costumam ser muito pragmáticos a preços.

“É uma valorização muito importante, mas estava muito mais barato comprar o nosso produto com a moeda brasileira depreciada. Agora essa janela de oportunidades para a exportação não está tão escancarada, porém começa a encontrar um ponto de equilíbrio”, ressaltou.

Com relação às exportações, o analista destaca que o mês de outubro tinha tudo para bater o recorde em volume embarcado só que os feriados atrapalharam as negociações. “Já na primeira semana observamos que a média diária ficou em 10,5 mil toneladas nos quatros primeiros dias de novembro e podemos dizer que quem está demanda da nossa carne é a China e Hong Kong. Neste ano, a participação da China representa 63,7% do volume exportado, sendo que no ano passado esse percentual estava em 42,7%”, reforçou.

Mercado interno

A oferta de animais segue influenciando os preços da arroba estão próximos de R$ 288,00/@, conforme o indicador do GPB/DATAGRO reportou no último fechamento. No entanto, foram observados negócios de R$ 290,00/@ no interior de São Paulo. "Esse ano foi incrivel para a pecuária em que registrou uma valorização 43%, mas é importante o pecuarista fazer as contas para o próximo ano já que a reposição está cara e os insumos da ração também", alerta. 

Do lado da demanda interna, o analista comenta que o auxilio emergencial está chegando ao fim e pode impactar no escoamento da carne no mercado doméstico. "Até o momento, o consumidor não sentiu a valorização da carne. Só que lembramos como foi no final do ano passado que público acabou migrando de proteína. Só que outro ponto que pode amenizar e dar sustentação aos preços da carne é o pagamento do 13º salário", afirmou. 

Leia Mais:

+ Carne bovina: Média diária teve um aumento de 35,05% na primeira semana de novembro

Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário