Oferta restrita de animais deve voltar a ditar os preços da arroba nas próximas semanas, diz analista

Publicado em 13/05/2021 12:13 e atualizado em 13/05/2021 17:07 2146 exibições
Aedson Pereira - Analista de Pecuária da IHS Markit
A oferta começa a dar sinais de enfraquecimento e as indústrias não estão conseguindo alongar as escalas de abate

Podcast

Entrevista com Aedson Pereira - Analista de Pecuária da IHS Markit sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

 

LOGO nalogo

O cenário de oferta restrita deve voltar a prevalecer no mercado do boi gordo nas próximas semanas, já que a maior parte do gado de pasto já foi entregue aos frigoríficos. A tendência é que os preços fiquem estáveis com a queda de braço entre os pecuaristas pedindo valores acima do R$ 300,00/@ e as indústrias pedindo valores menores. 

De acordo com o Analista de Pecuária da IHS Markit, Aedson Pereira, o mercado está passando por um período de acomodação dos preços e esse movimento de queda nas cotações deve começar a enfraquecer. “Em algumas localidades a oferta não se mostra suficiente e a maioria das indústrias já conseguiram adequar a produção ao volume de abates, mas segue fazendo algumas operações com preços menores”, afirmou.

As indústrias que conseguiram se planejar contam com as programações de abate ao redor de 8 a 10 dias úteis no estado de São Paulo. Já as indústrias que estão com as escalas mais apertadas estão próximas de 4 a 5  dias úteis. “Como a oferta começa a dar sinais de enfraquecimento, as indústrias não estão conseguindo alongar as escalas de abate e no curto prazo terão que pagar preços maiores”, destacou. 

Os negócios para o boi comum estão ao redor de R$ 305,00/@ a R$ 310,00/@ nas praças paulistas. “Registramos negócios pontuais com lotes mais volumosos com gado terminado em cocho e destinado para as exportações em torno de R$ 320,00/@”, comentou. 

Com relação aos custos de produção para o confinamento, o analista ressalta que a reposição começa a dar sinais de enfraquecimento e a cotação dos grãos pode ter um arrefecimento. “O que pesa contra o pecuarista é a reposição, mas no nosso levantamento os preços das categorias mais jovens começam a recuar. Já para o milho, a perspectiva é que tenha um washout das exportações e pode haver um deslocamento dessa oferta do mercado externo para o interno”, explicou.

+ Arroba do boi gordo deve registrar novas máximas no segundo semestre de 2021

No atacado, os preços da carne registraram modesta desvalorização nesta semana devido a chegada da segunda quinzena do mês. “Para a indústria dar vazão a produção acabou cedendo os preços para manter um nível adequado da oferta. A indústria também entende que com a flexibilização do isolamento social o consumo deve melhorar gradualmente”, informou.

Os cortes de traseiro permaneceram estáveis ao redor de R$ 20,50/kg e  os cortes de dianteiro tiveram uma queda de R$ 0,50 e está próxima de R$ 17,50/kg. “A queda é justamente para não perder a consistência do escoamento e se adaptar ao momento que o mercado passa”, disse o analista ao Notícias Agrícolas.

+ Boi/Cepea: Diferença entre os preços das arrobas de boi e da carne diminui

Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário