Custos de colheita mais altos limitam rentabilidade dos cafeicultores em Nova Resende (MG)

Publicado em 27/03/2018 11:18 e atualizado em 27/03/2018 17:58
420 exibições
Boa parte da colheita ainda é realizada manualmente na região. Nesta safra, custos já estão mais altos. Temporada é de bienalidade baixa, mas produção deverá ser ainda menor por conta da interferência do clima. Cafeicultores seguem atentos ao clima e a possibilidade de geadas. Saca de café de boa qualidade é cotada entre R$ 390 a R$ 400 e não remunera os produtores.
Confira a entrevista com Alexandre Maroti - Produtor de Café

Podcast

Custos de colheita mais altos limitam rentabilidade dos cafeicultores em Nova Resende (MG)

Download

LOGO nalogo

Em meio à proximidade da colheita, os produtores de café de Nova Resende (MG) estão preocupados com os custos com a colheita. Boa parte da colheita ainda é realizada manualmente na região e, diante da estimativa de elevação nos valores, a rentabilidade pode ficar ainda mais ajustada nesta temporada. Os trabalhos nos campos deverão ser observados a partir do mês de junho.

Segundo o produtor rural da região, Alexandre Maroti, "não há muitos cafés nos cafezais para a colheita. E teremos que pagar mais para a colheita dos balaios, enquanto isso, os preços permanecem em patamares baixos", explica. Inclusive, a margem ajustada observada ao longo dos últimos anos tem refletido nos investimentos na atividade.

Atualmente, a saca de café de boa qualidade é negociada entre R$ 390,00 a R$ 400,00 na região. Valores que não cobrem os custos de produção aos produtores. "Isso sem contar que muitos cafeicultores precisam quitar em setembro os adubos que foram adquiridos", completa Maroti.

Safra 2018

Apesar de ser um ano de bienalidade baixa, a expectativa é de uma produção ainda menor nesta temporada devido à interferência climática. O pegamento da florada foi comprometido e a seca e a ferrugem ocasionaram a desfolha de muitos cafezais na região.

"E as chuvas continuaram esparsas na nossa região. Em janeiro, tivemos uma média acumulado ao redor de 160 mm, quando normalmente teríamos algo próximo de 300 mm. E não foram suficientes para reestabelecer a deficiência hídrica, então não sabemos o que pode acontecer de agora em diante", pondera o cafeicultor.

O clima continua sendo uma preocupação dos cafeicultores, especialmente no momento da colheita. Além das chuvas, a possibilidade de geadas também está no radar dos produtores rurais.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário