No dia Nacional do Café a preocupação é com a interrupção nas estradas e portos. A safra está muito ajustada

Publicado em 24/05/2018 14:37 e atualizado em 24/05/2018 19:41
525 exibições
Carlos Paulino, presidente da Cooxupé, emitiu comunicado internacional alertando aos compradores sobre as dificuldades de atender aos compromissos. O transporte na cafeicultura também está paralisado. A interrupção acontece num momento de recuperação, quando os preços estavam em níveis um pouco melhores que na safra passada.
Carlos Paulino - Presidente Cooxupé

Podcast

Entrevista com Carlos Paulino sobre a Safra do café 2018/19

Download

LOGO nalogo

Carlos Paulino, presidente da Cooxupé, conversou com o Notícias Agrícolas nesta quinta-feira (24) para comentar a greve dos caminhoneiros por todo o Brasil, bem como o Dia Nacional do Café, que é comemorado hoje.

De acordo com Paulino, os caminhões estão impossibilitados de entrar e sair da Cooxupé neste momento. O setor da cafeicultura e os produtores foram atingidos, mas ele lembra que o café não é um produto perecível, de forma que outros setores como o de aves e o de leite estão sofrendo mais.

A Cooxupé emitiu um alerta para exportadores destacando que os portos poderiam ser atingidos. Ele lembra que movimentos como esse já foram vistos, mas que não há uma liderança nacional. "Está descontrolado. Cada região está fazendo um manifesto e o setor está muito dividido", avalia.

Para ele, uma solução seria pressionar os estados para uma diminuição do ICMS, cuja alíquota incide sobre o preço dos combustíveis - dessa forma, um estado possui diferença de preço para o outro.

Dia Nacional do Café

No Dia Nacional do Café, Paulino avalia que a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) estima uma boa safra, mas que os números são baixos. O fator clima ainda é complexo e irregular - logo, mesmo diante dos bons preços, ainda não é possível saber o que irá ocorrer.

Ele lembra que o café tem uma importância histórica no Brasil e que, por isso, ganhou um dia em sua homenagem.

Cooxupé alerta sobre atrasos na exportação por protestos de caminhoneiros (Reuters)

A Cooxupé, maior exportadora de café do Brasil, alertou nesta quinta-feira os clientes estrangeiros sobre possíveis atrasos no embarque devido aos protestos dos caminhoneiros em todo o país, segundo uma executiva da cooperativa.

Evelyse Lopes, gerente de exportação da Cooxupé, disse à Reuters que a empresa enviou mensagens a clientes dizendo que não está recebendo contêineres vazios em seus armazéns para carregar café. E contêineres carregados não estão sendo transportados para portos, acrescentou ela.

A Cooxupé disse que as companhias marítimas estão alertando que podem não parar no porto de Santos, o maior da América Latina, se os protestos dos caminhoneiros continuarem.

Por: João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário