Oferta global pressiona cotações do café em NY, mas perspectivas para 2020/21 são otimistas

Publicado em 23/04/2019 15:49 e atualizado em 23/04/2019 16:28
719 exibições
O café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) tem amargado perdas expressivas, chegando na semana passada em mínimas de mais de 10 anos por conta da oferta global e safra 2019/20 do Brasil. No entanto, com consumo crescente, expectativas para temporada 2020/21 são mais otimistas. Café robusta em Londres também tem recuado nas últimas semanas.
Celso Luis Rodrigues Vegro - Eng. Agrônomo e Pesquisador do IEA

Podcast

Estoques em Alta Pressionam as Cotações Café - Celso Luis Rodrigues Vegro - Eng. Agrônomo e Pesquisador do IEA

Download

LOGO nalogo

Nesta terça-feira (23), o Notícias Agrícolas destaca o mercado do café em conversa com Celso Luis Rodrigues Vegro, engenheiro agrônomo e pesquisador do IEA.

Nas últimas semanas, as cotações vêm caindo bastante na Bolsa de Nova York (ICE Futures Group), gerando um cenário complicado que reflete no bolso dos produtores brasileiros. O mercado testou mínimas que não eram vistas há mais de dez anos.

Essa situação gera cafés sendo comercializados abaixo do custo no mercado brasileiro. Segundo Vegro, isso se dá por conta dos estoques em alta e também da desvalorização das principais moedas em relação ao dólar.

No ano passado, o Brasil teve uma safra que foi considerada recorde. Para este ano, mesmo em uma bienalidade negativa, os números estimados também devem ser elevados.

Não há algo em vista para que haja mudança nesse mercado do café. No curto prazo, Vegro recomenda atenção à comercialização com foco nos contratos futuros, que possuem preços muito melhores do que os atuais.

Por: Jhonatas Simião e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário