Cooxupé vê com otimismo nova Previdência, desoneração de exportações e projeta expectativas para Fórum Mundial

Publicado em 05/07/2019 15:10 e atualizado em 05/07/2019 17:32
437 exibições
Produtores de café estarão reunidos entre os dias 10 e 11 de julho no Fórum Mundial dos Produtores de Café, em Campinas (SP). A Cooxupé estará presente com sua presidência para debater o atual cenário da cafeicultura. Carlos Augusto destacou o otimismo da cafeicultura diante das novidades na política, reforma das Previdência e desoneração de exportações.
Carlos Augusto Rodrigues de Melo - Presidente Cooxupé

Podcast

Entrevista com Carlos Augusto Rodrigues de Melo - Presidente Cooxupé sobre as Perspectivas para o Café

Download

 

LOGO nalogo

Em entrevista ao site Notícias Agrícolas, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé, falou sobre o cenário atual do mercado caffeiro e também sobre a segunda edição do Fórum Mundial dos Produtores de Café, que será realizado nos dias 10 e 11 de julho em Campinas (SP).

Ele diz que o evento é importante para que os participantes aproveitem e tenham um alinhamento global sobre a produção de café,melhorando assim os atuais patamares de preços da cultura. Carlos Augusto reiterou que a Cooxupé está presente em quase todos os elos da cadeia cafeeira, como as áreas de produção, indústria e exportação e que, portanto, haverá uma grande presença por parte da cooperativa no Fórum. Ainda mais em um momento em que se discute pautas como a reforma da previdência, a desoneração das exportações e o recente acordo comercial entre o Mercosul e a União Européia. 

Sobre a safra atual, ele ressaltou que esse é um momento difícil de prever o que acontecerá com o mercado, já que há previsões de geadas nas áreas de café em Minas Gerais e Paraná. Com relação a isso, ele disse que a previsão para a safra este ano é de 50 a 52 milhões de sacas, enquanto que na safra passada esse número foi entre 62 a 65 milhões de sacas.

A preocupação com a qualidade da safra é outro fator que chama a atenção, já que a safra deste ano não deve ser igual ou superior a safra passada, que apresentou qualidade bastante superior. Porém, ele reforça que nesse momento é difícil fazer uma previsão precisa e que independente do clima, a busca do produtor rural deve ser pela melhora de preços, ainda mais tendo em vista que a expectativa de colheita esse ano é menor.

Por: Jhonatas Simeão e Ericson Cunha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário