Café solúvel: Com mercado cada vez mais exigente, ABICS retoma sessões de cupping para definir protocolo que estruturará a metodologia de análise sensorial

Publicado em 30/11/2021 15:49 807 exibições
Eliana Relvas - Cafeóloga, especialista em avaliação sensorial e consultora da Abics
Entidade retomou sessões presenciais para definir atributos que identifiquem os sabores encontrados nos cafés pelas suas intensidades

De acordo com o último levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics), o consumo de café solúvel no Brasil segue em expansão e registra aumento de 5,4% no acumulado entre janeiro e outubro de 2021. No período, os brasileiros consumiram o equivalente a 833.409 sacas de 60 kg, acima das 790.993 sacas consumidas no mesmo intervalo do ano passado.

A Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics) na sede do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), em Campinas (SP), a realização das sessões de cupping para calibragem de profissionais que contribuem para a definição do protocolo que estruturará a metodologia de análise sensorial do produto.

"O objetivo dos trabalhos é concluir quais são as intensidades dos atributos que integrarão essa inédita metodologia global para chegarmos até os ajustes finais. Com essa definição, os cafés solúveis passarão a ser classificados pela expressividade de suas características, independentemente da categoria”, explica a cafeóloga e consultora da Abics, Eliana Relvas, que coordena as sessões em parceria com a Dra. Aline Garcia, do ITAL.

Esse foi o primeiro trabalho presencial desde o início da pandemia e contou com a participação do grupo de especialistas, que já trabalha no projeto desde 2020, das indústrias de café solúvel Cacique, Iguaçu, Realcafé, Nestlé, Cocam e Olam e das indústrias de torrefação JDE, Melitta, 3Corações, Native, além do próprio ITAL, da Abics e do Sindicato da Indústria de Café do Estado de São Paulo (Sindicafé-SP).

O diretor de Relações Institucionais da Associação, Aguinaldo Lima, revela que essa iniciativa se deu mediante a ausência de um protocolo comum e global para análise sensorial e pela necessidade de estabelecer critérios de avaliação dos atributos intrínsecos e naturais da diversidade de bebidas que hoje o café solúvel possibilita.

“Com o constante aumento do consumo mundial e o expressivo crescimento no mercado brasileiro, o conhecimento sobre o produto, suas características e diversidade de preparo se tornaram uma necessidade para manter esse avanço e é dever da Abics investir no fomento desse maior entendimento para promover e divulgar o café solúvel", afirma.

Até o momento, conforme o presidente da Associação, Fábio Sato, que esteve presente no cupping, vem sendo obtido um maior aprendizado dos atributos dos diversos tipos do produto, com os trabalhos norteados por uma ampla classificação de categorias de qualidade e métodos de preparo, que são essenciais para proporcionar maior entendimento aos profissionais do setor e ao público consumidor do Brasil e do mundo.

"A conclusão dos trabalhos para a criação dessa inédita metodologia de análise sensorial para os cafés solúveis gerará referências até então existentes, mas não padronizadas, uma vez que cada indústria possui seus próprios procedimentos”, conclui Sato.

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário