Cropview indica melhores condições para as lavouras de soja que foram plantadas no tarde no oeste baiano

Publicado em 16/01/2020 12:26 e atualizado em 16/01/2020 15:12
998 exibições
Saiba também da influência do clima na colheita da soja em MT
Cristina Queiroz - Rural Tecnologia

Podcast

Entrevista com Cristina Queiroz - Rural Tecnologia sobre o CropView

Download

LOGO nalogo

A região oeste do estado da Bahia sofreu com a estiagem prolongada, mas para os sojicultores que decidiram plantar mais tarde, na esperança da chegada das precipitações, o desenvolvimento das lavouras deve ser melhor, conforme explica Cristina Queiroz da Rural Tecnologia, utilizando como base a plataforma CropView.

Segundo ela, em simulações feitas no programa, quem plantou perto do dia 21 de outubro do ano passado uma cultivar de 130 dias na área de Correntina, as chuvas foram insuficientes, em níveis de 25mm a 30mm a cada dez dias.

"A planta até conseguiu se desenvolver, mas com o recuo das chuvas em dezembro, houve uma penalização grande", explica.

Passando a data de plantio para um mês depois na simulação, em 21 de novembro, a lavoura já tem melhores condições, ainda que as chuvas não tenham sido tão volumosas. A partir do dia 10 de dezembro, com a parada nas precipitações, houve penalização.

"Para quem conseguiu dar continuidade na lavoura, janeiro traz uma chuva interessante que suspende a penalização, mas torna a faltar, e quem está com a lavoura nesse estágio, torce para chover, senão vai penalizar de novo", conta Cristina, informando que entre os dias 10 e 19 de janeiro as chuvas devam ser poucas.

Depois do dia 19 de janeiro até o final do mês, a região deve receber cerca de 100mm de chuvas, o que pod etrazer alertas para o surgimento de doenças nas plantas, como oídeo. As chuvas devem ser mais concentradas entre os dias 21 e 26 de janeiro.

Simulando o plantio na mesma área e com a mesma cultivar no dia 21 de dezembro, a plataforma Cropview mostra que não havia condições, já que após o dia 10 de dezembro, as chuvas na região de Correntina cessaram.

Já quem plantou mais tarde, por volta do dia 5 de janeiro em Correntina, a lavoura acabou de sair do estado de estabelecimento e vai receber uma boa chuva. O produtor vai ter boa produtividade com perdas mínimas. 

"Quem deixou para plantar mais tarde está melhor, e a partir de 21 e 26 de janeiro, tem previsão de boas chuvas na região de Correntina".

COLHEITA EM SINOP

Algumas lavouras de soja em Sinop, no Mato Grosso, já começam o processo de colheita. Segundo simulação feita no Cropview de uma cultivar de 110 dias plantada no dia 10 de outubro, o resultado é de distribuição irregular de chuva, mas ainda assim volumes que trarão 100% de produtividade, com penalização mínima devido ao excedente de precipitações.

"Já temos a partir de hoje (16) condição de colheita, situação que deve se repetir no final do mês, quando não deve haver chuva na região", conta Cristina. 

Pela plataforma também é possível fazer o planejamento de milho safrinha, e no caso da área de Sinop, se o plantio for feito no dia 10 de fevereiro de uma cultivar de 120 dias, a indicação meteorológica é positiva e o potencial produtivo deve ser alto.

 

Por: Aleksander Horta e Letícia Guimarães
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário