Mapas climáticos mostram chuvas abaixo da média em setembro podendo provocar atraso do plantio no PR e boa parte do Centro-Oeste

Publicado em 24/08/2020 16:21 e atualizado em 24/08/2020 18:33 4419 exibições
Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet
Clima seco e quente deve prevalecer até o final de Agosto em grande parte do país, exceção apenas para o Sul do RS

Podcast

Entrevista com Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet sobre a Previsão do Tempo

Download

LOGO nalogo

As previsões mais recentes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicam chuvas abaixo da média para o mês de setembro, o que pode provocar atraso no plantio no Paraná e em áreas do Centro-Oeste. Francisco de Assis Diniz, meteorologista do Inmet, destaca que a massa de ar frio derrubou as temperaturas nos últimos dias fez com que as menores temperaturas do ano fossem registradas em várias regiões produtoras do país.

"A gente ainda tem uma condição de geada fraca para o sul de Minas (Monte Verde e Maria da Fé), com temperaturas de 2 a 4 graus", afirma. Ainda de acordo com o especialista, a geada deve acontecer com intensidade fraca, sem levar preocupação ao produtor de café no sul mineiro. Após a passagem do sistema frio, a tendência é de elevação nas temperaturas em todo o Brasil nos próximos dias, incluindo a região sul. 

Chuvas abaixo da média no Paraná e Centro-Oeste

Os modelos de previsão estendida indicam que o produtor do Paraná pode ter um atraso nas chuvas após o fim do vazio sanitário. "Para o mês de setembro a gente vê que as chuvas se concentram na parte leste do RS e SC, pouca chuva para o sul do PR", afirma Francisco. Destaca ainda que os modelos apontam um período de estiagem para o norte, centro e oeste do Paraná.

As mesmas condições são esperadas para o Centro-Oeste do Brasil. "Significa que em setembro não teremos quase chuva no Centro-Oeste e não há previsão nenhuma de fixação de chuvas em setembro", afirma Francisco. O meteorologista do Inmet destaca que o modelo GFS indica as mesmas condições para o Paraná e Centro-Oeste. "Pela avaliação que estou fazendo agora para o Paraná, não há uma previsão otimista de ter as condições de chuvas suficientes em setembro", comenta. 

Francisco destaca ainda que a expectativa é de chuvas mais volumosas a partir de outubro para a parte Central do Brasil, mas no Paraná os mapas apontam uma melhora, mas ainda com volumes abaixo da média para o norte do estado. "Santa Catarina também, ou seja, a gente vai ter uma melhoria em outubro, porém ainda com condições irregulares", explica. 

Últimos cinco dias 

Conforme indicavam as previsões, os volumes mais expressivos de chuvas nos últimos dias foram registrados no Paraná. De acordo com dados coletados nas estações meteorológicas do Inmet, todo o estado recebeu chuvas acima dos 60 mm. 

Choveu também de maneira mais expressiva no extremo sul do Mato Grosso do Sul, com acumulados de até 100 mm em algumas áreas. Na região Central do estado, foram registradas chuvas entre 20 e 25 mm. No Centro-Sul de São Paulo, as chuvas não ultrapasaram os 25 mm. 

Ainda no Sudeste, foram registradas chuvas entre 20 e 25 no sul de Minas Gerais. As mesmas condições foram registradas no Centro-Sul do Espírito Santo. Já no Rio de Janeiro, a condição foi mais expressiva, com chuvas de até 60 mm. 

Veja o mapa de precipitação acumulada nos últimos cinco dias: 

Últimos cinco dias - Inmet - 2408
Fonte: Inmet 

Por:
Aleksander Horta e Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Celso de Almeida Gaudencio Londrina - PR

    Que ótimo, pelo menos não teremos soja para ser inviabilizada pela ferrugem pois a melhor época de semeadura é em novembro para o Paraná.

    2