Chuvas volumosas sobem pelo Sul; produtor deverá aproveitar bem esta 2a. onda, diz Agroclima

Publicado em 23/10/2020 16:15 e atualizado em 25/10/2020 16:18 6519 exibições
João Castro - Agrometeorologista - Climatempo
Entrevista com João Castro - Agrometeorologista - Agroclima/Climatempo

Podcast

Entrevista com João Castro - Agrometeorologista - Climatempo sobre o clima

Download

As chuvas chegaram, mas ainda bem tímidas. Neste sábado, já chove de Norte a Sul do País, mas em pontos isolados, e ainda se forma irregular. São as chamadas chuvas "manchadas", mas que deverão evoluir nas próximas horas e aumentar de intensidade na segunda-feira, 26, quando se espera volumes acima de 30 mm praticamente para todo o centro-sul.

--"Na terça-feira, 27, essa onda de chuvas ganha força a ponto de alcançar também o Matopiba", prevê o agrometeorologista do Agroclima, João Castro.

Na previsão mais alongada feita pelo Climatempo, há duas particularidades. Primeiro, que a formação do corredor de umidade vai se manter estabilizado no centro do Brasil, numa faixa que vai desde o litoral do Espirito Santo, passando por MInas Gerais, Goiás, unindo-se com a umidade que vem da Amazonia, garantindo assim chuvas em bons volumes para o Mato Grosso.

Por outro lado, cresce a preocupação com as chuvas torrenciais que vão desabar por dias seguidos sobre o estado de Minas Gerais, principalmente sobre a Zona da Mata mineira.

Outra caracteristica dessa 2a. onda de chuvas é que ela vai passar rápido pelo centro-sul (uma 3a. onda está prevista para o Dia de Finados (2), e deixar o País dividido pelo corredor de umidade do Brasil Central. Ou seja, haverá chuvas e umidade constantes nesse corredor central, enquanto que acima (centro-norte) e abaixo (sul do País) voltará a condição de baixa umidade.

-- A conclusão, diz João Castro, é que o produtor do Sul, principalmente do oeste do RS, Sta Catarina e Paraná, devem aproveitar bem essa 2.a onda e plantar firme e com segurança, para garantir a emergencia das sementes.

O agrometeorologista faz um alerta para o mês de fevereiro, quando as chuvas diminuirão muito o volume de todo modo geral para todo o País, e um alerta mais focado na região de Passo Fundo (RS), que, devido à presença do La Niña, a safra deverá sofrer uma redução sensivel no volume de chuvas.

--"Daí a necessidade de o produtor fazer uma cobertura resistente para o verão, aprofundando o perfil de solo, para garantir não só a germinação acmo a evolução da planta", finaliza.

(veja a entrevista completa no video acima).

Plantio de soja triplica na semana a 25% da área em MT; 2ª safra fica apertada, diz Imea

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de soja em Mato Grosso triplicou em uma semana, atingindo 25% da área esperada para a safra 2020/21, mas ainda até bem atrás do índice de 64,5% verificado na mesma época da temporada anterior, uma vez que neste ano as chuvas foram escassas para iniciar os trabalhos, apontou nesta sexta-feira o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Até a sexta-feira da semana passada, agricultores tinham semeado soja em apenas 8,2% da área no maior Estado produtor do grão no Brasil.

Comparando os números com a média histórica, também há um atraso significativo: o indicador aponta para cerca de 50% neste período.

"Esta semana já veio um pouco mais de volume de chuvas, e o produtor também está acompanhando as previsões para a semana que vem, que deve aí sim consolidar chuvas mais abrangentes em todo o Estado", afirmou o superintendente do Imea, Daniel Latorraca, à Reuters.

Até o meio da próxima semana, as precipitações devem se avolumar nas principais regiões produtoras do Brasil, ocorrendo mesmo em áreas do Sul do país, segundo dados Refinitiv, o que pode permitir o avanço dos trabalhos.

Nos últimos sete dias, as chuvas atingiram principalmente áreas do Centro-Oeste do Brasil, com muitas áreas ainda recebendo menos chuva do que a média para o período, conforme dados da Refinitiv.

No Sul do país, as precipitações seguiram escassas.

"Então já estão começando a operação, alguns produtores (de Mato Grosso) mesmo que não tenham umidade suficiente, e outros que já tiveram chuva para fazer o plantio", acrescentou o superintendente do Imea, lembrando que agricultores estão correndo para realizar o plantio da soja em tempo que permita semear a segunda safra em janela climática adequada.

Segundo ele, agora ficou "muito apertado em relação à janela do milho", e o produtor "começa a ficar sem opção", por isso vai semear. Latorraca comentou ainda que o atraso da soja "comprometeu" para o algodão, especialmente no sudeste de Mato Grosso.

No entanto, evitou fazer qualquer comentário sobre o impacto na segunda safra.

Quanto mais tarde ocorre o plantio da chamada "safrinha", maior o risco de a lavoura receber menos chuvas para o desenvolvimento.

De forma geral, especialistas não estão vendo problemas para a produtividade da soja no Brasil, maior produtor e exportador global, em função do atraso.

A preocupação por ora é maior com a entrada tardia da safra da oleaginosa, assim como com o plantio da segunda safra, de milho ou de algodão.

Plantio de soja do Brasil atinge 17,64% da área e segue atrasado, aponta Pátria

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de soja 2020/21 do Brasil atingiu nesta sexta-feira 17,64% da área esperada, mantendo atraso relevante em relação à safra anterior e à média histórica para o período, de acordo com dados da consultoria Pátria Agronegócios.

No mesmo intervalo da safra 2019 a semeadura atingia 32,88% da área, enquanto a média para o período é de 34,75%. O plantio da safra atual tem sido fortemente impactado pelas condições de seca no país.

Os números da Pátria apontam que o ritmo mais adiantado de semeadura está no Paraná, com trabalhos em 38% da área, embora também haja atraso no Estado, que havia plantado 45% em igual período de 2019 e tem média de 59% para esta data.

Maior produtor de grãos do Brasil, Mato Grosso viu o plantio da oleaginosa atingir 27% nesta semana, ante 64,5% no mesmo momento de 2019 e 52% na média histórica, acrescentou a consultoria.

Algumas importantes regiões produtoras de soja do país receberam chuvas na última semana, mas ainda abaixo da média, segundo dados da Refinitiv. Eles indicam, porém, que as precipitações deverão ganhar força na próxima semana, podendo impulsionar os trabalhos dos agricultores.

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

    Aqui no vale Paranapanema, em Taquarituba SP (uma regiao 100% agricola, privilegiada) o tempo correu bem, nao faltou chuva, soja 90 % plantada...., ontem à noite choveu mais 42 mm... Pena essa ajuda do clima não ser a realidade em outras regioes... mas logo tudo voltará ao normal.

    1
    • Renato Santi Locatelli Alvorada do Sul - PR

      Aqui em Alvorada do Sul, vale do Paranapanema, o plantio está atrasado, não chove muito... mais atrasado que anos anteriores.

      0
    • Leodir Vicente Sbaraine Terra Roxa - PR

      Aqui no Oeste do Paraná, atrasada e complicada, Talvez com alguns replantios...

      0
    • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

      A abençoada chuva chegou!!!

      0
    • Aldo Hilarino da Silva Capão Bonito - SP

      Capão Bonito, pertinho da sua região, está fraco de chuva..., plantio interrompido.

      0
  • Aloísio Brito Unaí - MG

    Noroeste de Minas Gerais tem sido uma das regiões com melhores índices pluviométricos dos últimos 3 anos. Já está chovendo de forma geral na região desde o dia 10 de outubro. Observem a quantidade de chuva prevista para os próximos dias e meses para esta região do Noroeste Mineiro... Região referência de agricultura e pecuária sustentável.

    0
    • wenderson lambert pouso alegre - MG

      Cadê as chuvas da regiao de Pouso Alegre, aqui no Sul de Minas????, desde o dia 15 de outubro apresentam quadros e tabelas com indices de chuvas boas, mas só no sonho..., estao bons para apresentarem as previsoes e tendencias hein, para ontemm e hj aqui seria uma chuvarada, só gostaria de saber onde tem esta chuva pois ate agora nada...

      0