DA REDAÇÃO: Informações do CAR podem ser usadas contra o produtor

Publicado em 14/12/2011 13:02 e atualizado em 14/12/2011 17:05 446 exibições
Código Florestal: para pressionar urgência na aprovação do projeto, produtores não devem aderir ao CAR (Cadastro Ambiental Rural) do governo para assegurar regularidade ambiental de sua propriedade. Informações resgitradas no programa podem ser usadas por ONGs para dificultar atividade agrícola no Brasil, afirma engenheiro agrônomo.
O Ministério do Meio Ambiente começou na última segunda-feira, dia 12, a receber, via internet, inscrições para o Cadastro Ambiental Rural (CAR), de adesão ao Mais Ambiente, o programa de regularização ambiental do governo. No entanto, segundo Engenheiro Agrônomo, Ciro Siqueira, o cadastro não é a melhor opção para o produtor rural e, portanto, não deve ser feito.

De acordo com informações do engenheiro, a disponibilização do CAR foi uma aposta do Governo de que a presidente Dilma Rouseff não prorrogaria o decreto e que o Código Florestal seria aprovado ainda esse ano e, no curto período entre um acontecimento e outro o produtor rural fosse multado. No entanto, com a votação adiada para março de 2012 e o decreto prorrogado, Siqueira recomenda que o produtor não faça o cadastro, pois as informações disponíveis são públicas e podem ser usadas contra o produtor futuramente.

“Hoje há um consenso de que o CAR no futuro será uma ferramenta importante para gestão do território e da agricultura, o problema é que o Ministério do Meio Ambiente, o Ministério Pública e o Ibama são cheios de fundamentalistas e essas informações são publicas. O produtor cadastra sua propriedade sem reserva legal e depois pode responder por isso juridicamente. O Greenpace já fez isso, forçando a Nike a não comprar couro do Brasil por causa de informações de cadastro. O produtor precisa do Código para ter segurança de que amanhã essas informações não vão ser usadas contra ele mesmo”, explica o engenheiro.

A exceção, segundo Siqueira, é para os produtores que já foram multados pelo Ibama, pois, nesse caso, têm a chance de se desvincular do problema através do protocolo do Mais Ambiente, que agora é feito via CAR. “Para os produtores que já foram multados, o CAR é uma boa opção”, garante.

Por:
João Batista Olivi e Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    Acho que é um ganho esse adiamento, é uma possibilidade dos agricultores se unirem para valer mesmo, mobilizados poderiam até prever um corte na produção que faria tremer até o José Dirceu!!!!!!! imaginem a situação dos fundamentalistas com a pressão, mostraria também a verdadeira forca do campo no contexto.

    0
  • Guilherme Frederico Lamb Assis - SP

    a KGB PTralha vai passar essas informações diretamente aos terroristas do MST para invadirem fazendas!

    antes de qualquer coisa consultem advogados de confiança e com saber jurídico sobre o tema.

    0