DA REDAÇÃO: Mercado físico do boi gordo continua travado diante da retração do atacado

Publicado em 31/01/2012 13:19 e atualizado em 31/01/2012 15:12 943 exibições
Boi Gordo: Mercado futuro esboça reação, mas negociações no físico continuam travadas. Baixos preços de proteínas concorrentes, como a carne de frango, enfraquecem ainda mais a demanda por carne bovina. Expectativa é de cenário mais firme a partir de fevereiro.
Mercado futuro do boi gordo esboça reação nesta terça-feira, porém as negociações no cenário físico continuam travadas. A demanda enfraquecida no atacado e o menor fluxo de abate de animais deixam os preços em patamares próximos da estabilidade.

Em São Paulo, as negociações acontecem na casa dos R$ 98/@, à vista. "Quando os frigoríficos começam a abater acima desse preço, as escalas começam a encurtar. O pessoal está tentando esse preço há duas semanas consecutivas", comenta o analista de mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira.  

Ao longo do mês, o recuo de cerca de 25% nos preços do frango, um dos principais concorrentes da proteína bovina, acaba dispersando ainda mais a procura pela carne vermelha, o que contribui para a frouxidão do mercado. Para o analista, o momento atual esboça a necessidade de uma retração dos preços finais nas gôndolas dos supermercados. " As grandes redes ainda seguram os preços para fazer ganhos nesta carne", comenta.

A partir de fevereiro, Junqueira acredita em cenário pouco mais firme, com leve viés de alta para os valores da arroba com a expectativa de retorno do atacado às compras. "O mercado paulista deve corrigir os valores da arroba até aos patamares de cem reais para ter um pouco de oferta de boi pronto e para o frigorífico ter um pouco mais de escala", acredita.

Por:
João Batista Olivi e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário