DA REDAÇÃO: Chuvas localizadas em Marialva-PR não alivia estresse hídrico das lavouras de soja e milho

Publicado em 16/03/2012 13:10 e atualizado em 16/03/2012 17:27 579 exibições
Safra 2011/2012: chuvas localizadas não são suficientes para umedecer o solo de Marialva (PR), consolida grandes perdas para soja e já compromete desenvolvimento da safrinha de milho. Não há previsão de chuvas para os próximos dias ainda.
As chuvas localizadas que ocorreram na região de Marialva (PR) não foram suficientes para umedecer o solo e aliviar o estresse hídrico das lavouras. A situação consolida grandes perdas para soja e já compromete o desenvolvimento da safrinha de milho.

"Nós não temos chuvas de forma generalizada. Tem regiões que já houve o plantio de milho safrinha e estão aguardando as chuvas. Tem regiões em que o produtor colheu soja e está aguardando o plantio de milho safrinha porque ainda não choveu. E não tem previsão de chuva", conta o presidente do Sindicato Rural de Marialva- PR, Lindalvo José Teixeira.

A situação tende a agravar as perdas. A meteorologia prevê novos volumes pluviométricos, de até 30 milímetros, apenas para o dia 28 de março. Depois disso, chuvas em maiores volumes são esperadas para o dia 4 de maio e, em abril, não deve haver umidade na região.

"Se este fato for consumado nós teremos perdas drásticas na safrinha do Paraná porque o milho está na fase de desenvolvimento vegetativo, na fase inicial, que requer uma certa quantidade de chuvas para que possa se desenvolver de forma normal", comenta.

Por:
João Batista Olivi e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário