DA REDAÇÃO: Mesmo com início da safra, mercado do arroz tem alta nos preços

Publicado em 05/04/2012 10:39 e atualizado em 05/04/2012 12:30 501 exibições
Arroz: Mesmo com início da safra, preços sobem devido à retração na área e ao produtor ofertando menos o grão. Cotações deverão ficar acima do mínimo, mas Governo irá estabelecer limite de altas.
Apesar da entrada da safra no Rio Grande do Sul, existem fatores que estão concorrendo para alta nos preços do arroz no Estado. O primeiro indicador é uma redução de aproximadamente 2 milhões de toneladas nesta ano safra. Ano passado a produção brasileira foi de 13,6 mi/ton e este ano o Brasil deverá colher 11,3 mi/ton.

O Rio Grande do Sul, que produz 65% do arroz nacional, terá redução acentuada de área com 135 mil hectares a menos que na safra anterior, segundo dados do o Irga.  Em relação ao ano passado, a produtividade do Estado é 200kg/hectare menor, apesar do clima favorável para a colheita.

Segundo o consultor de mercado, Marco Aurélio Tavares, atualmente o produtor está colhendo menos e reduzindo a oferta, vendendo o mínimo e fazendo com que a indústria, por parte do comprador, tenha maior necessidade de aquisições, tendo em vista que no final de março a rede varejista voltou às compras. Preços hoje estão R$0,70 acima dos preços mínimos, segundo índice Cepea.

Além do produtor que tem segurado o grão, outro fator que contribui para a reversão nos preços são as exportações. Em 2011, o volume embarcado ultrapassou os 2 milhões de toneladas e as vendas no primeiro trimestre deste ano estão com volumes expressivos, aumentando as estimativas de boas exportações neste ano safra.

No entanto, Governo deve intervir para garantir preços do arroz, destinando recursos que permitam o escoamento de 2 milhões de toneladas do grão.

Nos estoques finais da safra de 2011, o Governo detém 1,7 mi de toneladas e deverá ser obrigado a intervir em função da necessidade de abastecimento ao longo do ano safra de 2012.

Preços não devem ficar abaixo mínimo, em contrapartida Governo irá definir limite de alta que deve ser em torno de R$30. Em comparação com 2011, preços estão praticamente 25% acima dos observados na safra passada.

Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário