DA REDAÇÃO: Futuro não acompanha alta no físico na última semana, mas tendência é positiva para o mercado do boi

Publicado em 10/04/2012 14:11 e atualizado em 10/04/2012 17:00 602 exibições
Boi Gordo: reação no mercado físico ainda não é sentida pelos contratos futuros na BM&FBovespa. Expectativa de volta das chuvas do sul ao MS podem trazer fôlego para pecuarista continuar engorda nos pastos. Negócios em R$ 97/@ em SP são confortáveis para mercado.


Após sinalização de melhora no mercado físico na última semana com aumento de até R$ 4,00 na arroba do boi gordo, o mercado futuro ainda ensaia uma recuperação mais lenta na BM&FBovespa. Apesar de acompanhar a correção dos valores, a bolsa espera altas mais significativas para avançar nos ganhos a médio e longo prazo.

Segundo Caio Junqueira, consultor da Cross Investimentos, o patamar de R$ 97/@ à vista em São Paulo é bom para o mercado, já que as escalas também se mantém confortáveis.

O problema da queda de braço entre pecuaristas e frigoríficos está justamente na oferta dos animais. A falta de chuvas em importantes regiões produtores obrigou o produtor a desovar seus animais já no início de março, pressionando para baixo os preços. Para Junqueira, esse foi o pior pico da safra em 2012 e agora a expectativa é de melhora gradual até finalizar o período.

Se confirmada a previsão de chuvas do Paraná ao Mato Grosso do Sul, a condição das pastagens melhora, podendo dar novo ânimo para as cotações. O consultor avalia que a tendência para os próximos meses é de menor desova de animais no mercado, apenas o que restar a ser ofertado da safra entre os meses de abril e maio para então o mercado respirar aliviado e ensaiar novas altas.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário