DA REDAÇÃO: Economista descarta que problemas do JPMorgan reflitam em crise como a de 2008

Publicado em 11/05/2012 14:10 e atualizado em 11/05/2012 17:23 7170 exibições
Financeiro: prejuízo de US$ 2 bi do banco JPMorgan deixa o mercado muito nervoso, mas turbulência deve ser passageira, afirma economista. Posição de fundos causa temor na macroeconomia. Para agrícolas, efeito acompanha macroeconomia, apesar de tendência altista para cotações.
As perdas de até US$ 2 bilhões do banco JPMorgan no segundo trimestre, devido a apostas mal-calculadas com derivativos, geraram apreensão no mercado nesta sexta-feira. O temor de que o fato desencadeie uma crise semelhante à de 2008, porém, foi descartado pelo economista Alcides Leite. 

Para ele, esse foi um problema pontual, ocasionado por erros operacionais que não acontecem em outros bancos dos Estados Unidos. “O sistema bancário americano está muito melhor do que na época de 2008”, diz. Assim, os prejuízos vão se restringir à própria instituição bancária, “vai prejudicar o próprio banco, mas não acredito que isso tenha nenhum tipo de contágio ao sistema financeiro internacional”, afirma.

Apesar da previsão tranqüilizadora do economista, as commodities registraram queda na Bolsa de Chicago, sobretudo a soja, que chegou a cair quase 50 pontos durante a sessão. Isso seria reflexo imediato das notícias, aliado ao lento crescimento europeu. Além disso, há problemas graves em outros países como Japão, Estados Unidos e China.
Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário