DA REDAÇÃO: Apesar de boas perspectivas para as commodities, financeiro negativo puxa decréscimo dos preços

Publicado em 16/05/2012 13:33 e atualizado em 16/05/2012 14:45 382 exibições
Financeiro: instabilidade na macroeconômica deve manter volatilidade nas bolsas internacionais. Neste momento, mercado se torna refém da Grécia, enquanto investidores influenciam nervosismo no dólar. Alta da moeda deve ser passageira, mas preços das commodities não devem perder seus patamares, avalia economista.
As commodities agrícolas vivem um cenário de volatilidade devido ao nervosismo do mercado financeiro. De acordo com Roberto Troster, analista de mercados, quando um momento de crise como o atual se instala, demora muito para retornar ao normal. Assim, os mercados de produtos agrícolas ficam reféns dos problemas na Grécia e França.

No caso da soja, que tem viés altista, estão preservados os preços sustentados até a colheita dos Estados Unidos. A safra antiga mostra-se muito mais volátil, inclusive com potencial para aumento de preços devido à demanda consistente da China. Estimativas dão conta de que os preços da oleaginosa podem até beirar novamente os US$15/Bushel.

Na visão do ministro da Fazenda, Guido Mantega, a turbulência econômica deverá se estender por, no máximo, um mês e meio. É possível que o país enfrente uma recessão nesse período, com diminuição do consumo interno. Com isso, produtores rurais que se dedicam a culturas como abobrinha, feijão e alface poderão sofrer as conseqüências. 

No entanto, Troster não enxerga que a recessão chegue a ser muito forte. Para ele, o Brasil tem potencial de crescer muito mais, sobretudo se houver um olhar maior no futuro. 
Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário