DA REDAÇÃO: Presidente da Famato afirma que os responsáveis por depredação no espaço AgroBrasil devem ser identificados

Publicado em 22/06/2012 14:34 e atualizado em 22/06/2012 17:24 428 exibições
Rio+20: Espaço dedicado ao agronegócio é alvo de depredação de radicais ambientalistas. Para Rui Prado, presidente da Famato( Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso),ação foi criminosa e episódio fere direito à democracia.
Militantes do MST invadiram e depredaram o espaço AgroBrasil, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) na Rio+20, nesta quinta-feira (21). De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato), Rui Prado, o evento é uma ação criminosa e os responsáveis devem ser identificados.

“Isso não pode acontecer, é uma questão antidemocrática, não podemos concordar com uma ação assim”, afirmou o presidente.  Apesar do episódio, Prado, afirmou que o mundo está amadurecendo com as discussões e agora o grande desafio é o desenvolvimento sustentável e a distribuição de renda.

“Não há mais espaço para esses radicais que pensam somente na preservação. Nós temos que ter um desenvolvimento sustentável, para as futuras gerações e para o futuro do nosso planeta”, finalizou o presidente. 

Por:
Kellen Severo/ Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Celso de Almeida Gaudencio Londrina - PR

    Lastimável o terrorismo feito na maquete da Fazenda Modelo do CNA, que por certo defende área florestada nas fontes d’água, soube definir APP, diferindo entre curso d’ água de até 3 metros de largura, daqueles com mais de 3 metros até 10 metros de largura, deve ter mostrado que as áreas de Mata Existente (chamada de RL) não podem ocupar áreas aptas a agropecuária e também respeitar a distribuição dos Domínios Ecológicos Brasileiros (EMBRAPA, ECO 92), e não os Biomas Brasileiros, que impõe o Parque do Iguaçu como situado na costeira Mata Atlântica.

    0