DA REDAÇÃO: Cotações da soja encerram em queda na Bolsa de Chicago

Publicado em 07/08/2012 16:54 e atualizado em 07/08/2012 18:03 462 exibições
Soja: cotações encerram no vermelho na bolsa de Chicago, com participantes preocupados que relatório do USDA seja mais otimista depois das chuvas que ocorreram no cinturão produtor.
Nesta terça-feira (7) as cotações da oleaginosa encerram em queda na Bolsa de Chicago. Segundo o operador de mesa, Flávio Oliveira, em função basicamente das chuvas que caíram no meio-oeste dos Estados Unidos nas regiões produtoras de soja.

“Na soja ainda pode haver alguma recuperação, tanto que os fundos têm realizado saídas de posições compradas na expectativa de que o relatório do USDA trabalhe com produtividade melhores do que o mercado especulava”, explicou Oliveira.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) irá divulgar na sexta-feira (10) o relatório de acompanhamento de safra. O operador frisa que o relatório não vai definir o tamanho da safra norte-americana, mas será um bom guia para as próximas semanas.

No milho as perdas já são irreversíveis, o mercado trabalha com uma média de 125 bushel por acre na produtividade do cereal, no entanto, a projeção inicial era cerca de 160/165 bushel por acre. “Temos uma queda bastante considerável, quase 30% de queda em relação às projeções iniciais”, afirmou o operador.

Para a soja, a expectativa do mercado é que com as chuvas, que ocorreram no cinturão produtor, o USDA não traga números baixistas. “O mercado espera recuperação da produtividade da oleaginosa no relatório de agosto e setembro”, disse o operador.

Ainda de acordo com Oliveira, o mercado está muito volátil e a definição da safra deve acontecer no relatório de setembro, até lá o mercado irá especular com esses números. “Já os produtores brasileiros devem aproveitar os picos do mercado para ir travando a nova safra, e também aproveitar o câmbio – acima de R$ 2,00 – que é bastante interessante”, orientou o operador.

Por:
Aleksander Horta / Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário