DA REDAÇÃO: Custos de produção dos suínos permanecem acima dos preços de vendas

Publicado em 14/09/2012 13:59 e atualizado em 14/09/2012 15:41 420 exibições
Suinocultura: Mercado registra negócios em SP entre R$53 a R$55 a arroba. Carcaça comum do animal registrou preços em R$4,40 e R$4,70 para a especial. Custo de produção ainda está acima dos preços de venda. Produtor perde cerca de R$23,00 por arroba.
As cotações dos suínos apresentam uma melhora em São Paulo, nesta sexta-feira (14). Segundo o presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos, Valdomiro Ferreira Junior, hoje estão sendo feitos negócios entre R$ 53,00 e R$ 55,00 a arroba.

“O que representa em torno de R$ 2,83 a R$ 2,93 o quilo vivo. Ocorreu um aumento conservador de cerca de R$ 1,00 por arroba durante essa semana. Já no mercado de carcaça, os preços variam entre R$ 4,40 carcaça comum e R$ 4,70 especial”, afirmou Ferreira.

O presidente ainda explica que, em função dos altos custos de produção os produtores ofertaram animais demasiadamente, o que ocasionou essa bolha no mercado. Porém, existe a expectativa de estocagem de animais por parte da indústria para o consumo de final de ano e para as exportações.

No entanto, os custos de produção permanecem elevados e acima dos preços de vendas. O custo para os produtores é em torno de R$ 77,00 a arroba, o que representa cerca de R$ 4,10 o quilo, dessa forma os suinocultores perdem R$ 23,00 por arroba.

“O que nos chama a atenção é o custo de produção nesses patamares inviabiliza a cadeia de suínos, principalmente no setor primário, o setor está totalmente sem perspectiva de rentabilidade, devido às pressões e especulação de mercado”, explicou Ferreira.

Além disso, as notícias do Governo norte-americano demonstram que os custos de produção continuarão até pelo menos junho de 2013 apertados para os produtores de suínos e aves, conforme sinalizou o presidente.

“E na contrapartida o Governo brasileiro, não viabilizou medidas que possam regulamentar as extorsões que estão em termos de commodities com suínos e aves, o que vai agravando cada vez mais o segmento”, argumentou Ferreira.

Ainda de acordo com o presidente, as medidas anunciadas pelo Governo ontem (13) não devem beneficiar os suinocultores, e sim, somente as indústrias com personalidade jurídica. “Esperamos tendo um incentivo em qualquer segmento da cadeia que nós possamos ser contemplados e tenhamos sustentabilidade para ter desenvolvimento para os próximos anos”, finalizou.

Por:
Raphael Salomão/ Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário