DA REDAÇÃO: Condições climáticas e andamento do plantio na América do Sul irão determinar direção dos preços

Publicado em 25/09/2012 13:36 e atualizado em 25/09/2012 14:41 394 exibições
Grãos: avanço na colheita nos EUA e o início do plantio no Brasil pressionam cotações em Chicago. E mesmo produção cheia no hemisfério sul não será suficiente para cobrir as perdas registradas esse ano. Condições climáticas e o andamento do plantio na América do Sul irão determinar a direção dos preços nos próximos dias.
Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago operam em campo misto nesta terça-feira (25). Para o analista de mercado da New Edge, Daniel D’Ávilla, há um tempo falta notícias no mercado.

“E vimos na semana passada os fundos entrando e liquidando, em função da boa colheita norte-americana a disponibilidade da soja na mão, e também a China parou de comprar, esses fatores contribuem para esse cenário”, explicou D’Ávilla.

Outro fator que também colabora para pressionar as cotações, em Chicago, é o início do plantio no Brasil. Em decorrência dessa situação, os fundos liquidam um pouco de suas posições. No entanto, o analista sinaliza que não há uma mudança na tendência do mercado, uma vez que os estoques mundiais são apertados. 

“Acredito que o mercado pode movimentar mais, ceder um pouco mais, mas vale lembrar que daqui a pouco a soja nos EUA passa a ficar escassa, e vamos depender e olhar para a produção na América do Sul”, afirmou D’Ávilla.

Ainda de acordo com o analista, mesmo com produção cheia no hemisfério sul não será suficiente para cobrir as perdas registradas esse ano, cerca de 45 milhões de toneladas. Devido a esse quadro a situação, a tendência é que o mercado permaneça firme. 

“Nossas atenções estão voltadas para a safra sulamericana. Vamos depender mais de condições climáticas e o andamento do plantio na América do Sul para determinar a direção dos preços nos próximos dias”, finalizou o analista. 
Por:
Kellen Severo/ Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário