DA REDAÇÃO: Mercado espera divulgação do relatório do USDA na próxima quinta-feira (11)

Publicado em 09/10/2012 14:07 e atualizado em 09/10/2012 17:36 357 exibições
Grãos: Divulgação dos embarques semanais de soja puxou recuperação das cotações nesta terça feira(09). Expectativa agora se volta para o próximo relatório do USDA, dia 11. Rendimentos da soja devem vir melhores que nas últimas estimativas. Milho e trigo devem ter redução de produção e estoques finais.
As Commodities Agrícolas operam com leve alta na Bolsa de Chicago nesta terça-feira (9). Os futuros da soja trabalham com três pontos de ganhos nos principais vencimentos. O consultor de mercado, Glauco Monte, afirma que algumas atividades na exportação dos EUA e a divulgação dos embarques semanais que registraram bons índices contribuem para esse cenário de recuperação. Mas, o principal fator que dá suporte ao mercado é expectativa do relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) que será divulgado na próxima quinta-feira (11). O analista sinaliza que o relatório pode apresentar uma melhora nos rendimentos da soja. “Todas as consultorias privadas aumentaram as expectativas para os rendimentos da soja, mas por outro lado as exportações da oleaginosa estão boas, então o relatório deve ajustar a demanda não só na exportação, mas também no esmagamento, o que balancearia os números”, disse Monte. Com isso, os números de produção ficariam um pouco maior, assim como a demanda, o que poderia deixar os estoques finais levemente maiores, essa é a expectativa do mercado, conforme explicou o analista. Na visão do analista, o mercado já opera com rendimentos maiores, o que teria motivado as recentes quedas, juntamente com o avanço da colheita norte-americana. No entanto, a demanda ainda é uma incógnita, e o relatório pode alterar a demanda, pois as exportações semanais ainda são estão em volumes altos. “Talvez a exportação esteja sendo subestimada, o relatório pode mexer nesse número e a chance pode ser agora com esse aumento na produção, o órgão teria uma chance de aumentar a demanda e ajustar para ficar mais próxima da realidade nos EUA semana a semana”, afirmou Monte. Os volumes de exportações permanecem elevados, e a perspectiva é que a comercialização da soja pode chegar a 90% ao final de colheita. Em decorrência dessa situação, os EUA podem ficar praticamente sem o grão devido ritmo acelerado de exportações. E esse quadro pode contribuir para novas altas no mercado. Já no caso do milho e do trigo, a situação é diferente, uma vez que no último relatório o órgão baixou os estoques de safra velha para essas culturas, o que deve refletir no levantamento de quinta-feira (11). O mercado espera que os rendimentos do milho não devam ser alterados. Ainda de acordo com o analista, é preciso ficar atento ao mercado e o que pode alterar os estoques finais é a queda dos estoques finais da última safra. Do mesmo modo é necessário observar a demanda, que no milho, acontece ao contrário, a demanda por etanol e as exportações poderiam reduzir ainda mais em função que o etanol está em ritmo lento nos EUA. “As exportações de milho não estão tão ativas como na soja, então para compensar o USDA poderia reduzir os estoques iniciais, mas diminuir a demanda, o que deixaria os estoques finais muito próximos do último relatório”, finalizou Monte.
Por:
Kellen Severo/ Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário