DA REDAÇÃO: Na Cocatrel, comercialização do café segue lenta com compradores fora do mercado

Publicado em 09/11/2012 15:27 e atualizado em 10/11/2012 09:44 853 exibições
Safra café: Excesso de calor na região de Três Pontas (MG) prejudica pegamento do chumbinho. Comercialização na Cocatrel segue lenta com menor oferta de produtores e compradores fora do mercado. Café de melhor qualidade é negociado na cooperativa a R$360.
Na região de Três Pontas (MG), florada do café foi boa, mas calor agora compromete desenvolvimento do grão. De acordo com o presidente da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), Francisco Miranda Figueiredo Filho, as “chuvas também têm faltado e grão de café que foi pego tem desenvolvimento comprometido pelo excesso de calor”, afirma.

Na Cocatrel, comercialização do café está lenta. Segundo Figueiredo Filho, os produtores ofertam produto a “conta-gotas”, à espera de preços melhores. Enquanto os compradores também operam a “conta-gotas”, sinalizando menor volume de café exportado.

“Historicamente o Brasil vende mais café no segundo semestre, mas este ano as vendas continuam baixas no segundo semestre. Expectativa é de melhora no volume embarcado de café. Exportações já melhoraram em outubro e movimento deve continuar em novembro e dezembro, pois há inverno na Europa e EUA, quando consumo tende a aumentar”, explica o presidente da Cocatrel. 

Estoque na Cooperativa estão acima do esperado, mas ainda em volumes relativamente normais. Café de boa qualidade é negociado na Cocatrel em torno dos R$360, enquanto bebida rio tem preços abaixo de R$300, variando de acordo com tipo e qualidade. 
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário