DA REDAÇÃO: Boi – tendência é de preços firmes no mercado físico

Publicado em 18/01/2013 13:44 e atualizado em 18/01/2013 17:41
507 exibições
Boi: negócios ainda não foram totalmente retomados e a tendência é de preços mais firmes no mercado futuro. Já as altas no mercado físico são sustentadas pela demanda um pouco mais aquecida, no final do mês, e a oferta que ainda não está tão expressiva.
Nesta sexta-feira (18) a maioria das cotações futuras do boi aponta uma recuperação nos preços haja vista que os negócios ainda não foram, totalmente, retomados. Do mesmo modo, os valores no mercado físico apresentam uma sustentação decorrente de um aquecimento da demanda nesse final de mês.

Outro fator que também poderia contribuir para essa firmeza, segundo o analista de mercado da Scot Consultoria, Alcides Torres, muitos vendedores de boi estão em férias, então o mercado não tomou toda a sua fluidez. Os preços estão suportados, pois a demanda ainda não é tão expressiva, afirma.

Além disso, o retorno das chuvas é favorável para o setor e indica que o setor entra no período de safra, o que tende a aumentar a produção de boiadas terminadas. Por outro lado, o pecuarista ganha mais tempo para pensar nas vendas e a cada dia que o gado fica no pasto acumula peso. O analista sinaliza que essa é uma boa condição uma vez que tira a pressão que a seca exercia no mercado. 

Ainda na visão do analista, o mercado futuro tende a entrar em um ciclo de preços mais baixos. O mercado acumula um aumento de fêmeas no total de bovinos abatidos o que pode significar um aumento da oferta de gado. 

E, com isso, uma maior oferta de produto o que faz uma pressão sobre os preços. O mercado futuro se antecipa ao mercado físico prevendo uma oferta elevada, mas nesses 18 dias de janeiro, a oferta tem sido bastante regulada, finaliza Torres. 
Por: Kellen Severo/ Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário