DA REDAÇÃO: Café – safra brasileira deve atingir 50 milhões de sacas

Publicado em 30/01/2013 13:56 e atualizado em 30/01/2013 17:11
419 exibições
Café: produção de café brasileira deve atingir 50 milhões de sacas, mas não será uma super safra. Devido à bianualidade a região do Sul e Cerrado Mineiro deve registrar uma quebra de até 25% na produção do grão. Os estoques mundiais permanecem apertados e a orientação é que os cafeicultores façam vendas parceladas.
De acordo com a estimativa da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) a produção de café brasileira deve atingir 50 milhões de sacas, mas não será uma super safra, e, por outro lado, os estoques mundiais são apertados. Segundo o presidente da Cooxupé, Carlos Paulino, essa previsão vai de encontro com as perspectivas da cooperativa. 

A safra da região Sul e do Cerrado Mineiro deve registrar uma quebra em torno de 25% devido à bianualidade. O Brasil consome 4,5 milhões entre exportação e consumo interno, por mês, então o país vai consumir toda a produção, de 50 milhões, e com isso a tendência é que os estoques permaneçam baixos, afirma o presidente. 

E com a entrada da safra no mercado pode pressionar os preços para baixo. Em decorrência desse cenário, a cooperativa orienta aos cooperados que façam vendas parceladas. Os produtores não devem sentar em cima da safra esperando preços melhores que não podem acontecer. Com isso, uma safra pode juntar com a outra, e isso, pode ser perigoso porque a safra passada de 2012, a qualidade não foi boa, e caso tenhamos uma safra boa em 2013 haverá um diferencial muito grande. E a safra de 2012 fica de lado ou é vendida mais barata, diz Paulino. 

O presidente ainda explica que nos últimos anos os preços do grão recuaram em função da diminuição dos estoques mundiais de café. O que ocasionou um aumento nas compras haja vista que os compradores entenderam que poderia faltar o produto no mercado. Atualmente, a situação é contrária, o mercado acredita que há uma super oferta e os compradores não querem pagar o preço, relata Paulino. 

Além disso, nas últimas dez safras o Brasil tem melhorado a qualidade do café. Os cafeicultores continuam investindo na compra de fertilizantes, o que demonstra que ainda acreditam na atividade, conforme ressalta o presidente. Já em relação aos preços entre o café cereja descascado e bebida dura podem variar entre R$ 20 e R$ 50. 

Acredito que devemos ter um café de boa qualidade em 2013, pois tivemos poucas floradas o que favorece a produção. E as chuvas em Minas Gerais tendem a contribuir com o desenvolvimento dos cafezais uma vez que o café está na fase de granação, finalizou Paulino. 
Por João Batista Olivi/ Fernanda Custódio
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário