Feijão - diante de baixos estoques, preços estimulam inflação

Publicado em 06/02/2013 14:07 e atualizado em 06/02/2013 17:58
756 exibições
Feijão: Governo anuncia que irá desonerar tributos federais de produtos da cesta básica. Os preços do feijão registram altas expressivas, e a saca do feijão carioca chegou a ser negociada a R$ 250,00 em SP. A tendência é que as cotações apresentem novas elevações em março e abril.
O Governo anunciou, nesta terça-feira (5), que irá desonerar os tributos federais dos produtos da cesta básica ainda este ano. Segundo o analista de mercado da Correpar, Marcelo Lüders, sinaliza que os preços do feijão carioca subiram 32% e do feijão preto 44%, e expectativa é que os preços continuem pressionados forçando a inflação. 

Nós já tínhamos avisado que a inflação iria bater no feijão e o Governo afirmou não era algo para se preocupar. Os estoques de feijão da Conab em janeiro do ano passado eram de 69 mil toneladas e terminou o ano em 6 mil toneladas, afirma Lüders.

Enquanto que, o consumo mensal brasileiro é de 280 mil toneladas de feijão. O analista ainda destaca que é preciso entender que não são mais os pequenos produtores que produzem o grão, a responsabilidade da produção do feijão está nos médios e grandes produtores. 

E se não fizer nada para estimular esses produtores essa situação vai continuar. É preciso estratégia, de direção e isso não se resolve em uma safra. É necessário dinheiro para pesquisa, falta infraestrutuura, relata Lüders.  

Feijão No mercado do feijão a perspectiva é que o Brasil permaneça importando feijão preto da China, mesmo em plena safra. Por outro lado, os preços seguem elevados no mercado interno, e a saca do feijão carioca chegou a ser comercializado a R$ 250,00. 

A tendência é que os preços possam registrar novas elevações nos meses em março e abril, haja vista que a produção deverá chegar ao mercado em maio., finaliza Lüders. 
Por: João Batista Olivi/ Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário