DA REDAÇÃO: Decisão judicial suspende a demarcação de terras indígenas em Getúlio Vargas (RS)

Publicado em 19/03/2013 14:07 e atualizado em 19/03/2013 17:52
601 exibições
Questão indígena: Decisão do Tribunal Federal de Porto Alegre suspendeu o processo de demarcação de terras indígenas em Getúlio Vargas (RS). Funai ainda irá recorrer da decisão judicial. Produtores de outros municípios do estado sofrem com a demarcação de terras.
A demarcação de terras indígenas em várias regiões do país tem preocupado os produtores brasileiros. No entanto, o presidente do Sindicato Rural de Getúlio Vargas (RS), Leandro Munaretto Granella, destaca que uma decisão do Tribunal Federal suspendeu o processo de demarcação de terras indígenas no município.

A Funai ainda está contestando a decisão judicial, por isso, os produtores estão atentos a essa questão, pois sabem que a briga vai longe, afirma o presidente.

Por outro lado, várias cidades dos estados ainda sofrem com essa ameaça. Granella destaca que os processos estão em estágios diferentes, em Sananduva (RS), por exemplo, a demarcação já está sendo iniciada. A polícia chegou lá com várias viaturas para a colocação dos marcos e houve uma movimentação da comunidade que abriu valas nas estradas para impedir o acesso da polícia na área, relata Granella.

Há risco de conflito na área até mesmo com derramamento de sangue, segundo acredita o presidente do Sindicato. E para tentar amenizar essa situação, um grupo de representantes regionais está se mobilizando para fazer força social e política com a finalidade de resolver essa questão.
Por: Kellen Severo/ Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Otair Menegazzo Maringá - PR

    Quem está por trás dessas decisões absurdas? Alguém tem que saber e falar a verdade para os brasileiros. Porque se for por prazo e jurisprudência, Porto Seguro seria o primeiro lugar a ser devolvido aos índios, pois na carta de Pero Vaz de Caminha, já dizia que haviam muitos índios na praia (quer maior prova do que essa?). Em algum momento saberemos a verdade.

    0