DA REDAÇÃO: USDA divulga números de estoques trimestrais dos EUA acima do esperado pelo mercado e preços da soja recuam

Publicado em 28/03/2013 13:54 e atualizado em 28/03/2013 17:46
695 exibições
Grãos: USDA divulga números de estoques trimestrais de soja e milho nos EUA acima das expectativas do mercado. Área de plantio de milho norte-americano deve alcançar 39,98 milhões de hectares. Relatório é baixista para o cereal e tende a pressionar negativamente as cotações do grão.
Nesta quinta-feira (28), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou novo relatório de estoques trimestrais de soja e milho no país e a intenção de plantio para a próxima safra norte-americana. Os estoques da oleaginosa foram estimados em 27,2 milhões de toneladas, já para o milho foi projetado em 137,2 milhões de toneladas.

Os números vieram acima da expectativa do mercado internacional de grãos, conforme destaca o analista de mercado da Consultoria Agroeconômica, Carlos Cogo. Logo após a divulgação do relatório as cotações futuras da soja exibiam expressiva queda na Bolsa de Chicago. O contrato maio/13 do milho recuava 5%, enquanto, que o da oleaginosa registrava uma baixa de 2%, afirma.

O departamento ainda divulgou que a área plantada com soja nos EUA deve atingir cerca 31,2 milhões de hectares. O número reportado é semelhante ao plantado em 2012, de 31,24 milhões de hectares. Para o milho, o USDA estima que sejam semeados 39,38 milhões de hectares em 2013, aumento de 6% em relação à área de 2012.

Na visão do analista, apesar de números parecidos com os do ano passado, a área da soja ainda não seria suficiente recompor os estoques do grão nos EUA. No médio prazo, é um número neutro para a soja. No caso do milho, os números são baixistas, essa é a maior área plantada nos EUA e no caso de uma safra normal entre 360 e 370 milhões de toneladas haveria uma recomposição dos estoques de passagem no final de 2013/14 e nos estoques mundiais de passagem, o relatório é baixista para o milho, explica Cogo.

No entanto, o analista destaca que o clima será fundamental para a confirmação da safra nos EUA. A partir desse relatório passa a valer o mercado climático no país e só uma confirmação de produtividade normal poderia derrubar os preços na soja na faixa de US$ 12,50/bushel e no milho a queda pode ser maior, o contrato de dezembro pode chegar a US$ 5,00/bushel, diz Cogo.

No curto prazo, até o final da safra norte-americana não há espaços para grandes recuos nos preços da soja, uma vez que os problemas de logística no Brasil ainda prejudicam o escoamento da safra brasileira e os estoques do grão nos EUA são ajustados, conforme relata o analista. Por outro lado, no longo prazo com uma safra normal no país as cotações podem apresentam uma queda maior.

Já no caso do milho, a tendência é baixista, e os compradores deverão ser mais agressivos visando à grande produção brasileira e a área recorde de plantio nos EUA. Essa pressão baixista se acentua e não deve haver mais espaço para sustentação de preços no mercado físico de milho, finaliza Cogo.
Por Rafael Salomão/ João Batista Olivi e Fernanda Custódio
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário