DA REDAÇÃO: Boi - Menor oferta e bom volume de abates sustentam preços da arroba

Publicado em 05/04/2013 11:41 e atualizado em 05/04/2013 14:13 487 exibições
Boi: Oferta segue restrita com boas condições das pastagens. Escalas são curtas e boa demanda dos frigoríficos, além de poder de compra do consumidor favorecem firmeza das cotações. Mercado de bezerros também mostra firmeza e abate de fêmeas registra bom volume em janeiro e fevereiro. Arroba do boi gordo deve seguir firme pelos próximos dias.
A semana para o mercado do boi gordo pós-quaresma foi de boa movimentação nas compras dos animais e escalas mais curtas para os frigoríficos, favorecendo preços firmes para a arroba. De acordo com informações da analista da Agrifatto, Lygia Pimentel, a duração das escalas está abaixo da média para o período, isso em função do atraso das chuvas em importantes praças, que atrasou a engorda dos animais e que agora, com o bom volume das precipitações, oferece condições para o pecuarista segurar o animal no pasto.  

Além da oferta menor, Lygia explica que os abates em alta também favorecem a firmeza das cotações. O Serviço de Inspeção Federal (SIF) apontou que em janeiro e fevereiro os abates de animais se mostraram elevados, incluindo os abates de fêmeas.  “A seca do final do ano passado diminui a possibilidade de manter a fêmea no pasto. (...) Além disso, o pagamento ruim pela arroba em plena entressafra do ano passado e o custo de produção desestimularam o pecuarista”, afirma. Para a analista, a indústria tem evitado operar com ociosidade elevada e, por isso, tem aumentado seus abates. 

O abate de fêmeas, que desde 2011 se apresenta em números elevados, já começa a se refletir no mercado de bezerros. “O bezerro tem se mostrado bem firme e pode ser o primeiro sinal daquelas fêmeas que começamos a abater a partir de 2011. (...) O boi gordo costuma seguir esse sinal. É um primeiro sinal que apareceu, mas que precisa ser confirmado”, avalia. Atualmente, preços para o bezerro chegam a R$1.200 pela cabeça, variando conforme a qualidade e a praça. Em Mato Grosso, existem negócios para o bezerro de até R$900. 

De acordo com Lygia, as compras dos frigoríficos em volumes sustentados foram reflexas da proximidade dos preços do frango e suíno com o boi, o que favorece o consumo da carne bovina, além da melhora no poder de compra do consumidor dos últimos anos, no entanto, apesar da sustentação, as vendas no mercado interno nos últimos dois meses vieram abaixo das expectativas iniciais. Já as exportações em bons níveis também contribuíram para um cenário firme. 

A analista explica ainda que o mercado segue bastante firme e, por isso, um dia de más compras para os frigoríficos significa que no dia seguinte será preciso negócios mais agressivos e isso tem levado o mercado para cima. No entanto, Lygia ressalta que “a partir do momento que as chuvas pararem e a pastagem começar a seca, aí sim a gente vai poder ver a safra entrar”, movimento que pode pressionar os preços da arroba. 
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário