DA REDAÇÃO: Parlamentares recolhem assinaturas para a CPI da Funai

Publicado em 06/05/2013 13:02 e atualizado em 06/05/2013 17:31 353 exibições
Questão indígena: Parlamentares pedem instalação de CPI da Funai e do Incra. Troca de presidente não significa mudança na atitude na Funai quanto à demarcação de terras, acredita deputado que foi um dos primeiros a questionar a atual situação.
As demarcações de terras indígenas geram preocupação nos produtores rurais brasileiros. Segundo o Deputado Federal, Alceu Moreira (PMDB-RS), os processos de demarcações de terras indígenas são fraudulentos, patrocinados por ONGs internacionais e uma afronta à Constituição do Brasil.

“Situação até ontem combatida ferozmente pelas lideranças de esquerda, na verdade se baseavam nessas agências de desenvolvimento americano que estabelece uma forma de suplantar interesses nacionais e preservar seus interesses em terras alheias e hoje são aliadas financiam com muito dinheiro as demarcações de terras, normalmente, em cima de jazidas minerais, valores importantíssimos para esses países”, explica o deputado.

Diante desse cenário, os deputados colheram assinaturas para instalar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a ações da Funai. Ao todo, já foram recolhidas 200 assinaturas, das 176 necessárias para a instalação da comissão.

“Queríamos colocar mais 200 assinaturas, pois sabemos que o Governo irá pressionar para que os deputados retirem as assinaturas, e alguns deputados que não são tão comprometidos podem retirar como precisamos de 176 assinaturas, não queremos correr o risco, por isso, estamos pegando mais assinaturas para evitar que a CPI se inviabilize antes da instalação”, ratifica Moreira.

Além disso, os parlamentares convocaram a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann para a audiência pública que acontece amanhã (08). O objetivo do encontro é debater as demarcações de terras indígenas no Brasil.

Já em relação à suposta troca de liderança da Funai, o deputado destaca que não significa uma mudança na atitude da entidade quanto às demarcações. “Absolutamente não é uma questão de natureza pessoal, e nem a presidente da Funai teria força política suficiente para poder fazer essas demarcações de terras com falcatruas”, afirma o parlamentar.

Por:
João Batista Olivi/ Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário