DA REDAÇÃO: Milho enfrenta seca e já registra perdas em Jataí (GO); Previsões apontam chuvas só no fim de maio

Publicado em 07/05/2013 15:22 e atualizado em 07/05/2013 17:49 980 exibições
Safras 2012/13: Milho safrinha está há 25 dias sem chuvas em Jataí (GO) e previsões climáticas apontam mais 20 dias de tempo seco na região. Segunda safra já tem perdas consolidadas e prejuízos podem aumentar. Negócios para a safrinha ocorrem a R$16,50/saca, valor que não cobre o custo de produção.
A falta de chuvas na região de Jataí (GO) está castigando as lavouras de milhos safrinha. De acordo com o vice-presidente da Faeg, Mozart de Assis Carvalho, os produtores plantaram a segunda safra em março, fora da janela ideal de cultivo, e este milho agora é o mais prejudicado com a estiagem.

 Há quase 30 dias não chove em Jataí e as previsões climáticas apontam falta de chuvas para os próximos 20 dias, o que pode agravar os prejuízos dos produtores. As perdas para o milho já chegam a 30% da produção estimada. Segundo Carvalho, a expectativa de colheita era de 100 sacas/hectare.

Como uma parte do plantio foi realizada fora da janela ideal, os seguros não devem cobrir prejuízos em sua totalidade e o ônus será do produtor. “O milho ainda está bonito, tem bastante água no solo, mas a gente sabe que esse milho que foi plantado mais no tarde, a partir da segunda quinzena de fevereiro, começou a soltar pendão agora vai sentir muito com essa possibilidade de falta de chuvas nos próximos dias”, explica Carvalho. 

Comercialização

Uma parte do milho safrinha foi negociada antecipadamente, mas os baixos preços oferecidos pelo produto têm limitado a continuidade da comercialização. De acordo com Carvalho, a saca de milho futuro é negociada com preços em torno dos R$16,50, valor este que só cobre os custos de produção caso haja boa produtividade. Valor ideal para o produtor seria em torno dos R$18,50. 

Logística

De acordo com Carvalho, além das perdas e baixos preços o produtor deve enfrentar ainda dificuldades para armazenar o cereal. Nos armazéns da região ainda existe soja verão e produtores terão que deixar o milho a céu aberto ou utilizar alternativas como o silo bag.
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário