DA REDAÇÃO: MS - Produtores rurais se reúnem na Fazenda Furna da Estrela para resistir a uma nova invasão indígena

Publicado em 05/06/2013 14:39 e atualizado em 05/06/2013 16:25 507 exibições
Produtores rurais se reúnem na fazenda Furna da Estrela (Sidrolândia), para resistir às novas invasões, e tentar resgatar os animais das outras fazendas invadidas. Na região, 18 fazendas estão ocupadas, e o clima ainda é muito tenso. Terenas tomaram as estradas de acesso à região do Buriti.

Nesta quarta-feira (5), os produtores rurais de Sidrolândia (MS) e de cidades vizinhas estão se reunindo na Fazenda Furna da Estrela para resistir a uma nova invasão indígena. Além disso, os agricultores também tentam resgatar os animais das propriedades invadidas.

Segundo o jornalista do Notícias Agrícolas, Aleksander Horta, a fazenda serve como um ponto de resistência dos produtores e a expectativa é que nos próximos dias cerca de 600 agricultores estejam na propriedade. Por outro lado, há informações de que os índios Terena teriam deixado a fazenda Buriti.

“No entanto, os indígenas estariam nas estradas, ou seja, o acesso continua impedido. Eles teriam saído da fazenda, mas não teriam desocupado a área. Situação que cria um clima de conflito na região. Além da Buriti, há outras fazendas invadidas na localidade”, explica o jornalista.

Atualmente, em torno de 18 fazendas estão invadidas na região, e totalizam uma média de 10 mil hectares. Pelo menos cinco propriedades já tiveram a sua sede queimada, e o gado já teria sido morto para alimentar os indígenas, conforme relatos do jornalista.

Ainda na manhã desta quarta-feira (5), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, chegou a Campo Grande (MS) para acompanhar a reintegração de posse da fazenda Buriti. A ação também será acompanhada por 110 integrantes da Força Nacional e 100 Policiais Federais.

Por:
João Batista Olivi/Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

2 comentários

  • Carlos Marcio guapo Campo Florido - MG

    Que país é este que um garoto pode matar e não ir preso, pode roubar e não ir preso, pode traficar e não ir preso, e não pode trabalhar pois é proibido pelo estado.

    Que pais é este que um punhado de indios poem fogo nas sedes de fazendas, matam animais e são protegidos.

    A saida é uma só, militares no poder, esta é a unica saida, ou me provem que existam outra.

    Se aplicarmos 10% do PIB em educação, irão roubar 7% e com os outros 3% demorariamos 200 anos para termos um país pacifico e educado.

    Com não vou ver isto, militares já, de ponta a ponta.

    0
  • Izabel Lima Mococa - SP

    Se o ministro da injustiça e a presidência da república tivesse interesse de interromper a pré-guerrilha que eles instauraram, era só interditar a funai funesta após a denúncia de emissão de R G de índio para as massas compradas...Segundo os levantamentos apresentados a população indígena cresceu mais de 200% e a gente sabe que a condição dos VERDADEIROS ÍNDIOS que esses guerrilheiros deveriam zelar estão abandonados à própria sorte...Terra não salva verdadeiros indígenas...

    0