DA REDAÇÃO: Soja: À espera de preços melhores, produtores de MT seguram o produto

Publicado em 07/06/2013 13:29 e atualizado em 07/06/2013 17:16 722 exibições
Grãos: Produtores de MT seguram a soja, frente à expectativa de preços mais altos para a oleaginosa. Por outro lado, as traders tentam originar o grão, para atender os seus compromissos. Para diretor, situação pode gerar uma inflação nas cotações da soja no mercado interno. Já no milho, a Conab realiza na próxima terça-feira (11) segunda operação de contratos de opção.

Os negócios no mercado interno brasileiro seguem em ritmo lento. Os produtores de soja seguram o produto, frente à expectativa de preços mais altos para o grão. Segundo o direto do SIMConsult, João Birkhan, os agricultores que precisam de dinheiro vendem da mão-pra-boca, e o restante está mantendo a poupança em grão.

Por outro lado, as traders tentam originar o grão para atender seus compromissos. “Os produtores não venderam toda a safra, mas as traders já fizeram os planos de venda e precisam atender fisicamente esse volume, que não está aparecendo o que vai gerar uma inflação dos preços no mercado interno”, explica Birkhan.

Os preços do farelo de soja já registraram altas nos últimos dias no mercado interno. Em Minas Gerais, o aumento foi de 45% e as cotações passaram de R$ 710 para R$ 1100 a tonelada. No interior de São Paulo, os preços também apresentaram variação positiva. O diretor ainda destaca que um dos fatores que tem contribuído para elevação nos preços é o dólar.

Milho – A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) realizou a primeira operação dos contratos de opção para a garantia do preço ao produtor no último dia 4. O leilão negociou 96,12% dos valores ofertados. Para o diretor, o volume negociado nas bolsas em MT ainda é pequeno e foi verificado um volume maior de negócios na bolsa de São Paulo e dos grandes centros.

Já na próxima terça-feira (11), a companhia deve realizar a segunda operação. Diante dessa nova oportunidade, o diretor sinaliza que caso os prêmios não fiquem inflacionados os produtores participem do leilão. “Mas acredito que conseguiremos vender o milho no mercado interno, talvez, sem a Conab”, relata Birkhan.

Por:
João Batista Olivi/Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário