DA REDAÇÃO: Integração lavoura-pecuária cresce no MT

Publicado em 10/06/2013 13:13 e atualizado em 10/06/2013 16:04 544 exibições
Rota da Pecuária: Em Vale do Araguaia-MT, integração lavoura-pecuária é destaque. De 45 mil hectares de lavouras de soja na região, em torno de 40% é destinada à integração. Área tem alto nível tecnológico, com agricultura de precisão. Gado não é tratado como produto secundário, e sim como receita principal.

A integração lavoura-pecuária tem se tornado cada vez mais comum na região do Vale do Araguaia (MT) e tem proporcionado bastante sucesso para os principais produtores.

O Consultor Agrícola, Endrigo Dalcin, assiste a uma área de 45 mil hectares de lavoura de soja e, dessa área, cerca de 40% é destinada a integração lavoura-pecuária. “Hoje o nível de tecnologia e de informação que existe sobre esse sistema tem feito com que haja um aumento substancial nas novas áreas de soja da região”, diz Dalcin.

No município de Nova Xavantina, os produtores têm investido em tecnologia e trabalham com o mais alto nível. Nas áreas de integração é feito agricultura de precisão, coleta do solo e mapeamento com uso de GPS e piloto automático. Segundo Dalcin agora o gado será rastreado com o ganho de carne por hectare: “Nós esperamos ganhar nessa área o dobro do que ganhamos com a soja, ou seja, o gado não é secundário, faz parte da receita principal também”.

O leste do MT é uma região tipicamente pecuária, onde existem grandes áreas de pecuária extensiva. Atualmente, o plantio de soja tem cerca de 1,2 milhões de hectares com potencial para chegar a 3 milhões de hectares por meio de pastagens que irão se tornar integração lavoura-pecuária.

Por:
João Batista Olivi, Estela Facchin e Paula Rocha
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário