DA REDAÇÃO: Boi – Com geadas, pecuaristas ofertam os animais e preços recuam em várias praças no país

Publicado em 26/07/2013 13:05 e atualizado em 26/07/2013 15:17
502 exibições
Boi: Semana foi de queda expressiva para as cotações do boi. Principal motivo das alterações seria o clima. Com expectativas da geada, pecuaristas se programaram para ofertar o boi desde a semana passada. Estragos causados em pastagens ainda estão sendo levantados. Analista acredita que as duas próximas semanas terão bastante oferta, seguidas por um período de vazio.

Durante a semana, os preços da arroba do boi recuaram até R$ 3,00 em algumas praças no país. O recuo nas cotações é decorrente das geadas que atingiram várias regiões produtoras, uma vez que os pecuaristas se programaram para ofertar o boi desde a semana.

O analista de mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira, explica que os estragos ainda vão ser levantados. “As perdas de capim ainda serão contabilizadas essa semana, se for grande vamos ter uma oferta acentuada no curto prazo, mais duas semanas de bastante oferta e depois passaremos por um vazio de oferta”, afirma.

Em médio prazo, a expectativa é que os preços registrem uma valorização expressiva, devido à falta de mercadoria pronta, conforme destaca Junqueira. “É difícil para os pecuaristas reterem os animais no pasto com as geadas, então é normal que se oferte. Normalmente, em anos que temos geadas também temos bons preços, mas a curto prazo vamos sofrer uma pressão de maior oferta”, ratifica o analista.

Paralelo a esse cenário, o analista diz que no mercado do boi a demanda é sempre mais firme no início do mês com a entrada do salário, porém perde forças até o final do mês. Essa situação tem se repetido nos sete primeiros meses do ano.

Em contrapartida, a demanda externa está aquecida e as exportações brasileiras de carne bovina apresentaram um aumento expressivo. “A alta do dólar tem ajudado, no mercado externo vamos ter um crescimento efetivo de até 30%, o que vai ajudar os preços do boi e também temos uma expectativa de menor volume de boi confinado, então teremos preços melhores do que o ano passado”, ressalta Junqueira.

Por outro lado, os custos de produção devem permanecer elevados aos pecuaristas. “Vamos ter custos cada vez mais altos, estamos em um período de nítida inflação no Brasil e o pecuarista fica no meio do fogo cruzado”, finaliza o analista.

Por: Kellen Severo/Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Laerson Magalhães Pietrobon Palmital - PR

    parece q os consultores tem informaçoes diferentes da mesma região, uma q o frio fez aumentar a oferta e outra q nem o frio fez aparecer boi , fico com a segunda q naõ tem boi gordo, existiram ofertas a 3,00 mais baixo mas ninguem vendeu .

    0