DA REDAÇÃO: Nesta quarta-feira (31), soja e milho encerram com cotações em alta na Bolsa de Chicago

Publicado em 31/07/2013 18:58 e atualizado em 31/07/2013 20:33
1053 exibições
Soja: Compradores voltam ao mercado e cotações tem dia de alta em Chicago. Com atenções voltadas para o clima nos EUA, mercado está na expectativa para a produção final da safra no país.

Nesta quarta-feira (31), soja e milho encerram em alta na Bolsa de Chicago. No final do pregão houve um grande volume de vendas para o vencimento novembro da soja, principal contrato nesse momento, já que o contrato agosto está em período de entrega e o volume será reduzido.

Segundo o analista de mercado, Pedro Dejneka, o aperto nos estoques da safra velha de soja continua, mas não é mais o foco do mercado, que agora presta atenção no clima e no tamanho da safra 2013/14 de soja e milho dos EUA.

“O clima é sempre um fator altista porque sempre haverá especulações de temperaturas muito altas ou muito baixas. Nas duas últimas semanas o clima foi favorável, principalmente com as chuvas na parte oeste do cinturão de produção norte-americano e, para as próximas duas semanas, as previsões climáticas também são boas”, afirma Dejneka.

O analista diz que a soja acima de US$ 12,00/bushel para novembro ainda está em um bom preço, principalmente levando em conta o valor do milho dezembro. Ainda existe bastante prêmio de clima embutido nos preços da soja, o que faz sentido, já que agosto é o principal mês para o clima em relação à soja. Com isso, a tendência é de baixa para as cotações da soja, mas durante o mercado climático pode ocorrer algo que provoque um repique de alta.

Na próxima segunda-feira (5), o USDA irá divulgar novos relatórios de condição de lavoura e de oferta e demanda. Dejneka afirma que o relatório de oferta e demanda para a soja em agosto é um pouco prematuro, mas para o milho é importante, então o USDA deverá apresentar um relatório mais conservador na próxima semana e em setembro a estimativa para o tamanho das safras dos EUA será melhor. Já o relatório de condições de lavoura deverá apresentar uma melhora na qualidade das lavouras de soja e milho.

Por: Raphael Salomão e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário