DA REDAÇÃO: Na Bolsa de Chicago, cotações da soja mantêm tendência de baixa

Publicado em 06/08/2013 18:13 e atualizado em 06/08/2013 20:27
2080 exibições
Soja: os preços do produto de safra velha no mercado interno já começaram a se descolar de Chicago e devem continuar bons pelo menos até outubro em função de uma disputa interna pela soja . Já para o produto da safra nova, estratégia de comercialização depende da capitalização do produtor, da época de colheita e da região onde se encontra o produto. Veja as dicas:

Nesta terça-feira (6), a soja encerrou mais um dia com cotações negativas na Bolsa de Chicago. Anteriormente os preços giravam em torno de US$ 15,00/bushel e nesse momento estão próximos aos US$ 12,00/bushel.

De acordo com o consultor em agronegócios, Ênio Fernandes, os preços da soja estavam altos porque o mercado tinha escassez de produto e no início da safra dos EUA os preços poderiam subir se houvesse algum problema climático, mas isso não aconteceu e o mercado foi tirando o risco de quebra de safra: “Se o clima continuar favorável, quanto mais à colheita se aproximar, mais os preços irão cair. Porém, o preço de US$ 12/bushel não é baixo, mas não é tão alto quanto os níveis anteriores”.

No entanto, no mercado interno os preços começam a se descolar de Chicago e o dólar em alta da boas oportunidades aos produtores. Ênio afirma que a grande maioria da soja da safra velha já foi comercializada e é difícil os preços despencarem porque apenas em fevereiro deve entrar soja no mercado brasileiro: “Os produtores podem aproveitar para vender o restante da safra velha no momento em que o dólar romper os 2,30 e a indústria local estiver pagando mais de 100 pontos acima da exportação”.

Já para a safra nova, se o clima continuar como está nos EUA e o mercado tiver segurança da oferta, os preços podem atingir os US$ 10,00/bushel.

Por: Aleksander Horta e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário