DA REDAÇÃO: Boi – Desaquecimento da demanda pressiona preços no mercado paulista

Publicado em 16/08/2013 14:24 e atualizado em 16/08/2013 17:21
623 exibições
Boi: Mercado físico permanece pressionado em SP e a expectativa é de manutenção desse cenário com a chegada da segunda quinzena do mês. Para analista, principal fator de pressão do mercado é o desaquecimento do mercado consumidor.

O mercado físico paulista permanece pressionado e a expectativa é de manutenção desse cenário com a chegada da segunda quinzena do mês. A analista de mercado da FCStone, Lygia Pimentel, o principal fator de pressão nos preços é o desaquecimento do consumo no mercado interno.

Além disso, os estoques estavam elevados na primeira quinzena de agosto, o que fez com que o consumo de início de mês e o feriado não exercessem influência positiva nas cotações. As indústrias conseguiram preencher as escalas de abate e isso impediu uma reação positiva nos preços. 

 “Então, tivemos uma leve perda de interesse dos frigoríficos em comprar a carne, já que não tem interesse em gerar uma pressão de alta no mercado se não conseguem vender o produto”, destaca Lygia. 

Frente a esse quadro, a analista destaca que o diferencial de base está encurtando, situação que demonstra a falta de interesse dos compradores em adquirir a carne em SP. “No estado, nós temos o principal pólo consumidor e se ele não responde bem fica uma pressão de baixa mais forte. E essa redução no diferencial de base é positiva para quem utilizou as ferramentas da BMF baseado em um diferencial mais esticado”, acredita. 

Por: João Batista Olivi/Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Isaias mendes Lima Filho Itabuna - BA

    João,
    Os analistas estão cegos em relação ao mercado externo.
    O rebanho americano é o menor dos ultimos 70 anos.
    O Dolar bateu 2,39 agora, alimento para o gado confinado
    nas alturas. (custo).A Tyson não vai comprar gado que utilizou Zilmax ( Diminui produtividade americana).Abatemos exageradamente femeas que irão fazer falta no futuro. Concluindo, quem pensar bem aumenta o investimento na pecuaria AGORA.

    0