DA REDAÇÃO: Alta do dólar impacta inflação, mas eleva preços dos produtos agrícolas

Publicado em 20/08/2013 13:39 e atualizado em 20/08/2013 16:15
534 exibições
Economia: Mesmo com as incertezas em relação ao dólar, Governo não sinaliza medidas efetivas para tentar controlar os números, conforme relata o economista. Apesar da instabilidade da moeda norte-americana, o momento é bom para o setor agrícola realizar vendas, porém preços dos insumos também aumentam.

Nesse momento, o dólar está valorizado, o que impacta a inflação no Brasil, mas melhora os preços dos produtos exportáveis.

De acordo com o Economista, Roberto Troster, ninguém sabe exatamente para onde o dólar vai e o governo não sinaliza se deixará o dólar subir ou se vai segurar: “Não há uma definição clara de para onde o dólar irá, o que é muito preocupante porque um dólar instável é pior do que um dólar caro ou barato”.

Troster afirma que os leilões diários do governo são uma sinalização fraca sobre a sua política, já que o tamanho dos leilões não são informados, o que não dá credibilidade porque não mostra aonde os indicadores irão levar a economia: “Se o governo faz leilões cada dia com um tamanho diferente as incertezas continuam, o que é ruim porque não acontece investimentos”.

No curto prazo, quando o dólar sobe prejudica quem tem dívidas em dólar, já em médio prazo é bom, uma vez que os preços dos produtos agrícolas sobem, mesmo que os insumos também subam, proporcionando um bom momento para o agronegócio se o setor agrícola não sofrer com a inflação.

Troster diz que o país está sólido e crescerá 2% ao invés de crescer 4%, mas poderia ter ambições de crescer até 6%: “Com um dólar mais alto existe um pouco mais de inflação, o país não entra em uma recessão, mas também não está crescendo como poderia, então está sendo prejudicado. No entanto, o crescimento do agronegócio poderá ser o dobro ou triplo da taxa nacional”.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário